Sertanejas se rebelam contra a Globo e decidem abrir uma nova empresa

Marília Mendonça, Maiara e Maraisa não gostaram de atitude tomada pela Globo e cancelaram projeto com a emissora (foto: Divulgação)
Marília Mendonça, Maiara e Maraisa não gostaram de atitude tomada pela Globo e cancelaram projeto com a emissora (foto: Divulgação)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A confusão entre sertanejas, Globo e a Ambev ganhou um novo capítulo, que ajuda a entender toda confusão que movimentou a emissora líder de audiência no último mês. A cantora Marília Mendonça anunciou que será sócia na Chopp Potiguar ao lado das amigas Maiara & Maraisa, que foram as fundadoras da marca. O anúncio, indiretamente, explica o cancelamento do especial Amigas, que iria ao ar no dia 15 na TV, mas que acabou suspenso justamente por conta do patrocínio de uma das marcas do portfólio da gigante do setor de bebidas.

O projeto foi adiado por tempo indeterminado por causa de uma grande confusão entre o departamento comercial da rede e a Brahma, que patrocinaria o especial. A emissora se esqueceu de comunicar para as artistas que tinha comercializado o programa para a cervejaria e as cantoras ficaram sabendo do vínculo com a empresa, mantida pela Ambev, através das redes sociais.

Para Marília, Maiara & Maraisa, proprietárias de outra cervejaria, não caiu bem a emissora ligar a imagem delas com uma concorrente. Os executivos da rede receberam uma abordagem não muito amistosa da equipe jurídica das envolvidas e foram alertados de que ela não participaria da atração e tomaria providências se seu nome fosse vinculado aos produtos da concorrente sem consentimento prévio.

O Amigas seria protagonizado por Simone & Simaria, Naiara Azevedo, Maiara & Maraisa e Marília Mendonça. As três primeiras já são patrocinadas pela Brahma e não tinham problemas em vincular os seus nomes com os produtos comercializados pela marca. Marília Mendonça, por sua vez, esperava apenas acertar os detalhes para anunciar a sociedade com Maiara & Maraisa que acabavam de lançar o seu próprio rótulo da bebida.

Para evitar uma peleja judicial, a Globo se deu por vencida e preferiu adiar o projeto. A Ambev, que já havia pago parte do evento, terá suas marcas exibidas em outros programas como uma forma de compensação pelo negócio frustrado. “Ainda não foi dessa vez que a gente conseguiu juntar esse timaço de mulheres para um show no Dia das Mães, mas seguimos trabalhamos no projeto e já já a gente traz novidades”, justificou a rede.

Apesar da treta, o Amigas segue cotado para se tornar uma atração fixa na principal rede de televisão do país. Os executivos já estão analisando a viabilidade de transformar o projeto em algo regular para a programação de 2021, seguindo o modelo de programas como o SóTocaTop (2018-2020) e o Estação (2004-2009), e aguardam que o setor comercial consiga viabilizar o projeto sem que haja conflito de interesses entre a rede e as artistas. A emissora tem pressa para escolher projetos para a sua tarde de sábado em 2022, já que o Se Joga só está garantido até dezembro.

A versão original de Amigos surgiu em 1995, ano em que a música sertaneja já estava em alta e contava com duplas que emplacavam um sucesso atrás do outro. Com isso, a Globo decidiu apostar em especiais com os maiores ícones do gênero, e conseguiu juntar Chitãozinho & Xororó, Leandro & Leonardo e Zezé Di Camargo & Luciano durante quatro anos consecutivos, entre 1995 e 1998. 21 anos depois, a emissora conseguiu reunir os cantores para uma releitura do projeto, que foi ao ar na noite de 18 de dezembro de 2019.

Com a colaboração de Gabriel de Oliveira

Leia mais