Márcio Garcia diz que se segurou para não chorar muito no The Voice Kids

Márcio Garcia já se emocionou nas gravações do The Voice Kids, que estreia no próximo domingo (6) na Globo (foto: Globo/Fábio Rocha)
Márcio Garcia já se emocionou nas gravações do The Voice Kids, que estreia no próximo domingo (6) na Globo (foto: Globo/Fábio Rocha)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A sexta temporada de The Voice Kids terá como novidade a volta de Márcio Garcia como apresentador de TV. O reality musical também marcará o reencontro dele com um público que lhe é bastante familiar: além das crianças, que ele cativa desde os tempos de Gente Inocente, conquistou os pais e todos os parentes de vez com o Tamanho Família. Em entrevista divulgada pela Comunicação da Globo, Márcio Garcia contou como recebeu o convite para apresentar o reality. “O Boninho me ligou me perguntando se eu teria vontade de apresentar. Eu até brinquei com ele, falei: ‘Deixa eu pensar e te volto’. Ele perguntou se ia demorar muito. Eu falei: ‘Só um minutinho. Já pensei. Estou dentro’. Demorei 30 segundos para dar a resposta”, contou, aos risos.

Ela conta ainda que a paternidade e a apresentação do Gente Inocente o ajudaram a lidar com o público infantil. “De lá para cá, já pintaram mais três filhos. Até então eu tinha só o Pedro, o mais velho. Aprendi muito durante o Gente Inocente e também na vida, criando quatro filhos. Eu hoje tenho filhos de 7, 12, 15 e 17 anos, de todas as idades. É muito aprendizado, inclusive o de escutar. Eu sou de uma geração em que os pais não ouviam muito os filhos. Hoje, por razões óbvias, a gente escuta cada vez mais. É uma obrigação de todos os pais escutarem as crianças. Ter aprendido isso me ajudou muito e com certeza será utilizado no programa”, afirma.

Completamente à vontade, ele começou a gravar na semana passada. André Marques, que foi deslocado para o No Limite, por muitas vezes se emocionou na atração. Márcio Garcia adianta que chegou a lacrimejar e se segurou para não chorar muito: “Já começamos a gravar as Audições às cegas e eu tive que me concentrar. Cheguei a lacrimejar, mas me segurei para não chorar muito. A emoção vem, sim. Não tem como, é muito emocionante. O que mais me emociona é olhar para a família. Apesar de, por causa da pandemia, não termos o contato direto, eu vejo os familiares por uma TV, vejo a reação dos pais e vem forte a emoção. A criança cantando é lindo, muita alegria, mas quando você vê os pais, irmãos, todos chorando, acaba embarcando junto. Está sendo uma experiência incrível”.

Ele também falou sobre as mudanças no comportamento impostas pela crise sanitária. Os abraços ainda estão proibidos. “A vontade de dar um abraço é muito grande. A gente se policia. É ruim não ter esse contato, não só com as crianças, mas também com os técnicos; não está sendo fácil. A gente já está habituado e está se contendo bem. Mas, não é mole, não. Na eliminação então… Dá vontade de abraçar, beijar e levar para casa, e o máximo que a gente pode dar é um soquinho (gesto comum na pandemia), e olhe lá”, disse o apresentador.

O novo The Voice Kids tem estreia marcada para o próximo domingo, dia 6 de junho. A direção artística é de Creso Eduardo Macedo, com Thalita Rebouças nos bastidores, além de Gaby Amarantos, Michel Teló e Carlinhos Brown como técnicos. O reality irá ao ar aos domingos, após os filmes da Temperatura Máxima. O reality musical ganhará ainda exibição no Gloob às sextas seguintes à exibição na Globo, sempre às 22h.

Leia mais