Geraldo Luís reestreará nas manhãs da Record com reportagem atacando a Globo

Record exibirá reportagem de suposto crime envolvendo produtores do Big Brother Brasil (foto: Reprodução/Record)
Record exibirá reportagem de suposto crime envolvendo produtores do Big Brother Brasil (foto: Reprodução/Record)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Em sua reestreia no comando do Balanço Geral Manhã na próxima segunda-feira (7), na Record, Geraldo Luís exibirá uma reportagem especial com ataques contra a Globo. Nesta sexta, o jornalista participou da edição vespertina do Balanço Geral SP, comandada por Reinaldo Gottino, para falar sobre sua volta à televisão depois de superar as complicações causadas pelo vírus da crise sanitária. Ele também foi homenageado com a exibição de trechos de sua estreia na emissora em 2009.

Para conseguir garantir a vice-liderança e vencer o Primeiro Impacto com a volta de Geraldo Luís, a produção do jornalístico preparou uma reportagem exclusiva sobre uma mulher que denunciou dois produtores do Big Brother Brasil à polícia por assédio sexual. Eles teriam pedido favores sexuais à vítima para que ela fosse uma das participantes do reality show que tem apresentação de Tiago Leifert e direção de núcleo de J.B. Oliveira, o Boninho. “Áudios e gravações que denunciam um possível assédio de uma pessoa fazendo uso do cargo para colocar a pessoa dentro do programa [BBB]”, adiantou Geraldo Luís durante o quadro A Hora da Venenosa.

Conforme o TV Pop adiantou com exclusividade, algumas afiliadas da Record estão apreensivas com a volta de Geraldo Luís ao jornalismo da manhã. O receio das parceiras da emissora paulista é de que o apresentador se rebele para que o Balanço Geral Manhã seja transmitido em rede nacional. Em 2015, depois que Luiz Bacci voltou ao programa após uma breve passagem pela Band, a Record se empolgou com a audiência e decidiu que a atração passaria a ter um bloco veiculado para quase todo o país, com exceções pontuais no Nordeste e no Espírito Santo.

Para isso, a rede promoveu uma grande modificação em sua programação matinal. Diversos telejornais locais foram extintos e, consequentemente, uma série de profissionais foram demitidos, já que não havia espaço para remanejar os colaboradores que atuavam na produção daquela faixa horária. Além disso, a transmissão de um programa feito com grande foco no público paulistano afugentou os telespectadores das cidades, fazendo estrago na audiência dos programas regionais transmitidos na sequência, por volta das 7h30.

Leia mais