Justiça penhora cachê de shows de Belo para pagar dívida com Denilson

Dinheiro da venda de ingressos de shows de Belo será usado para pagar dívida com Denilson (foto: Reprodução)
Dinheiro da venda de ingressos de shows de Belo será usado para pagar dívida com Denilson (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O juiz Carlos Mazza Britto Melfi determinou que o dinheiro arrecadado com a venda de ingressos de shows do cantor Belo seja penhorado para o pagamento da dívida com o comentarista Denilson. As apresentações do artista foram realizadas nos dias 11 e 12 de junho em celebração ao Dia dos Namorados. As informações são do jornalista Alessandro Lo-Bianco, do portal iG.

“Cabe o cumprimento da decisão judicial no sentido de promover a transferência dos valores obtidos com a venda dos ingressos referente a apresentação do nome ‘Belo in Concert’, o prazo improrrogável de cinco dias”, diz trecho da decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo. A sentença foi despachada no dia 17 de junho. Por tanto, os valores devem ser disponibilizados até quarta-feira (23).

Por conta da crise sanitária, Belo retomou a agenda de shows recentemente e todos os ingressos dos dias 11 e 12 de junho ficaram esgotados. Ainda segundo Lo-Bianco, os bilhetes foram vendidos a R$ 320 e havia limite de 2 mil ingressos por conta dos protocolos sanitários adotados para realização de eventos. No local, o público foi obrigado a entrar com máscaras de proteção e tiveram a temperatura corporal aferida. Também havia marcação de distanciamento em uma casa de shows na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Apesar do sucesso nos shows, Belo não contava que o advogado de Denilson, Marcus Roberto Barreto, estava monitorando sua agenda de trabalho para solicitar a penhora judicial. Ele confirmou ao colunista o bloqueio da renda dos shows e explicou que outras frentes de bloqueio estão cercando o patrimônio de Belo para o pagamento da dívida que ainda supera a quantia de R$ 9 milhões.

A briga jurídica de Belo e Denilson se arrasta há pelo menos 21 anos. Em 1999, o comentarista da Band assumiu o gerenciamento da carreira do grupo de pagode Soweto, mas a parceria dos dois foi desfeita depois que o cantor deixou o conjunto musical para seguir em carreira solo. O parceiro de trabalho de Renata Fan processou o cantor alegando quebra de contrato.

Em 2004, Belo foi condenado pela Justiça a indenizar Denilson. Em 2020, o marido de Gracyanne Barbosa afirmou ao jornalista Leo Dias, então colunista do UOL, que pagaria a dívida até o fim do ano. A princípio, a ideia era de que a dívida fosse quitada em parcelas.

Leia mais