Retorno de Gossip Girl é tão ruim, mas tão ruim, que chega a ser bom

Gossip Girl ganhou nova versão no streaming (foto: Divulgação/HBO Max)
Gossip Girl ganhou nova versão no streaming (foto: Divulgação/HBO Max)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A “volta” de Gossip Girl finalmente aconteceu! Agora, como uma produção com o selo Original Max, a série será transmitida semanalmente pelo HBO Max. Com isso, a estreante ficará restrita ao serviço de streaming e não será transmitida nos canais da marca. A nova trama se passa no mesmo universo que a original, mas tirando citações de um ou dois personagens, todos os envolvidos são novos e sem ligação alguma com a anterior, possibilitando assim as pessoas começarem a assistir a partir da nova produção. Serão disponibilizados episódios todas as quintas-feiras por seis semanas consecutivas, com uma segunda leva já confirmada para “em breve”.

Para começar, tenho que deixar claro que Gossip Girl é ruim, sempre foi ruim e isso não vai mudar. Mas por causa dela, abriram-se portas para outras séries do gênero adolescente-que-quer-ver-pessoas-bonitas-se-pegando, como Elite e Genera+ion, sendo que a última estreará nesse mês no streaming. É como se voltássemos as origens, mas com uma linguagem atualizada. Agora em 2021, os personagens do seriado até brincaram de como a série mãe beirava a galhofa em alguns momentos.

Não foi só uma nova roupagem que a série ganhou: de 2012 para 2021 muita coisa mudou e isso foi até abordado na trama, com a não-tão-misteriosa nova Gossip Girl que migrou de uma um blog para o Instagram, além do seriado ganhar uma liberdade de não estar sendo exibida num canal aberto, mostrando assim cenas mais apimentadas e até alguns temas até uns quanto controversos. Mas ainda assim, nada que chegue perto de Euphoria, por exemplo.

E falando dela, a Garota do Blog em si, nunca foi imaginada como uma pessoa que apareceria, e sim um fator narrativo. Nos livros em que a trama foi baseada, ela encerra sem a grande revelação, já na série, em seu último episódio, ficou parecendo que foi algo escolhido no aleatório apenas para ter uma conclusão, a ponto da continuação fazer piadas sobre. Já na nova versão, já foi revelado quem está por trás da série nos primeiros minutos e é um ponto importante para o desenrolar da história, ao menos nesta primeira parte.

Além da criação do personagem, o primeiro episódio também focou nas irmãs Julien e Zoya, que nunca se conheceram antes e falavam secretamente pela internet. O plano das duas de como inserir a irmã na alta sociedade, mas tudo se colidiu com a chegada da nova fofoqueira no pedaço. O amor entre as duas se tornou num embate e até possível briga pelo namorado de Julien, este deve ser o tema com maior discussão na primeira parte da temporada.

Com todo esse foco na construção da nova persona e na apresentação das irmãs, praticamente ninguém mostrou a que veio ou o caminho que a história vai andar. Clichê? Podemos garantir que vai ter bastante, cenas picantes? Com certeza. Só não espere que teremos cópias de Blair, Chuck, Serena e Dan. Mas se você tem interesses em séries no mesmo estilo, podemos garantir que vai ser interessante. XOXO

Mateus Ribeiro é engenheiro por formação, e nas horas vagas se diverte maratonando séries e assistindo programas de origem duvidosa da televisão brasileira. No TV Pop, escreve semanalmente sobre as séries produzidas pela indústria norte-americana. Converse com ele pelo Twitter @omateusribeiro. Leia aqui o histórico do colunista no site.

Leia mais