Bingo – O Rei das Manhãs andou para que Lições de Vida com Uramichi-Oniisan pudesse correr

Trecho de Life Lessons with Uramichi-Oniisan (foto: Reprodução/Funimation)
Trecho de Life Lessons with Uramichi-Oniisan (foto: Reprodução/Funimation)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Uma das produções em andamento na atual temporada de verão dos animes japoneses, Life Lessons with Uramichi-Oniisan (traduzido como Lições de Vida com Uramichi-Oniisan) chega como um ponto fora da curva em tudo que se propõe. Quem vê de longe, acha que trata-se de uma história voltada ao público infantil, com um programa temático para crianças com três apresentadores animados, mas o cotidiano pode ser doloroso para esses personagens.

Demora pouco para que a depressão consuma o psicológico do protagonista que cai em sua triste realidade recheada de problemas de vida. Apresentador de um programa infantil junto de dois amigos, Uramichi luta contra as intempéries do dia-a-dia com um peso nas costas difícil de suportar. Nada muito diferente, por exemplo, do filme Bingo – O Rei das Manhãs (2017). O longa nacional mostra a trajetória de Arlindo Barreto, que deu vida ao palhaço Bozo dos anos 1982 a 1987. Porém, por trás do sorriso estampado no rosto, há um angustiante semblante tomado pelas dores de decisões equivocadas.

Uramichi Omota compartilha dessa visão de mundo, embora não chegue ao ponto de se tornar dependente químico, limitando-se apenas ao álcool, ao tabaco e à instabilidade emocional per se. O anime tende a ser mais leve e direciona o público às risadas ao invés da elevada carga dramática de Bingo. Chega a ser curiosa a forma como Uramichi-oniisan segue narrativamente, uma vez que a tendência do público adulto japonês é de gostar mais de conteúdo violento e cheio de ação. Ledo engano.

Para Uramichi Omota, o cotidiano pode ser doloroso (foto: Reprodução/Funimation)

O japonês médio, assim como o brasileiro, gosta mesmo é de ver situações reais, algo mais “gente-como-a-gente”. A dramatização do cotidiano, vale lembrar, não é algo que se vê apenas em se tratando de desgraças — o gênero slice-of-life pega trechos de qualquer momento da vida para retratá-los. Apesar disso, Uramichi-oniisan mantém uma narrativa consistente de episódio para episódio, como é possível perceber em cenas como uma gravação externa no inverno que resulta em um resfriado no final do episódio.

A animação de obra do Studio Blanc não tenta impressionar e, pra ser honesto, não é pra ser o ponto da produção mesmo. Os traços são bem adaptados do mangá original e lembram bastante um shoujo, transitando de uma maneira estranhamente rápida e divertida entre um alegre conselho de vida para as crianças e uma sombria lamentação da vida adulta para os pequenos.

A trilha sonora é uma das diversões de assistir o anime. Muitas das cenas engraçadas vêm embaladas com um fundo musical divertido que ressalta a comicidade do momento, a ponto de induzir a risada só de começar a tocar no timing da piada. Além disso, o anime conta com curtas canções originais performadas pelos próprios seiyuus — os dubladores –, além da abertura.

Os apresentadores do pseudo-programa infantil precisam estar com o emocional em dia na frente das câmeras e das crianças (foto: Reprodução/Funimation)

O elenco da dublagem, inclusive, é um dos destaques do anime e muito celebrado pelos espectadores no Japão, trazendo vozes famosas como:

  • Hiroshi Kamiya (o Araragi de Monogatari Series), como o protagonista Uramichi Omota
  • Nana Mizuki (a Hinata, de Naruto), como Utano Tadano
  • Momoru Miyano (o Matsuoka Rin, de Free!) como Iketeru Daga

Até o momento, Life Lessons with Uramichi-Oniisan teve 6 dos 13 episódios previstos exibidos, mas já vale muito a pena. Cada semana quer nos fazer pensar o que o diretor insano do programa vai aprontar ou como a mente do protagonista estará corroída dessa vez. Novos episódios são lançados no Brasil às segundas-feiras na Funimation.

Caio Alexandre é entusiasta de cinema, exibição, animes e cultura pop em geral. Escreve desde 2008 sobre os mais variados assuntos, mas sempre assumiu a preferência pelo cinema e sua tecnologia embarcada. Não dispensa um filme com um balde de pipoca e refrigerante com o boss no fim de semana. No TV Pop, fala sobre tudo que é tendência no universo da cultura pop. Converse com ele pelo Twitter, em @CaioAlexandre, ou envie um e-mail para [email protected] Leia aqui o histórico do colunista no site.

Leia mais