Michael Magno, o corretor dos famosos, entra na mira da Polícia Federal

Michael Magno entrou na mira da Polícia Federal e é apontado como líder de um esquema de pirâmide (foto: Reprodução)
Michael Magno entrou na mira da Polícia Federal e é apontado como líder de um esquema de pirâmide (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Michael Magno é conhecido como o corretor de imóveis das celebridades e aparece em fotos ao lado de artistas como Bruno Gagliasso e Nívea Stelmann, para os quais já teria vendido imóveis, mas a Polícia Federal o aponta como operador financeiro do esquema fraudulento de uma pirâmide montada pelo ex-garçom Glaidson Acácio dos Santos, preso na última quarta-feira (25).

Michael Magno não foi preso nem teve a prisão pedida pelos investigadores, mas o relatório da Operação Kryptos, obtido pelo jornal EXTRA, aponta que o corretor imobiliário seria um importante operador da G.A.S Consultoria Bitcoin, companhia que prometia rendimentos exorbitantes mediante investimento em criptomoedas.

O documento mostra que não há vínculo formal entre o corretor e Glaidson, mas Michael seria, segundo a PF, ligado ao casal Tunay Pereira Lima e Marcia Pinto dos Anjos, ambos presos no mesmo dia que o ex-garçom. De acordo com o relatório, o corretor declarou, em 2021, bens e rendimentos tributáveis de R$ 32.700, além de um patrimônio de pouco mais de R$ 293 mil. “Apesar disso, desde 2017, seu patrimônio e seu padrão de vida aumentaram bastante, o que leva a Receita Federal do Brasil a apontá-lo como provável sonegador contumaz”, afirmou o texto.

O documento apontou que, entre novembro de 2020 e fevereiro de 2021, Michael movimentou mais de R$ 9,6 milhões em uma única conta-corrente, divididos em valores parecidos de entrada e saída. “Em relação aos débitos, o valor total que circulou na conta no período foi pulverizado para pessoas físicas e jurídicas diversas (mais de 100 beneficiados) e em favor de outras contas do próprio Michael”, diz o relatório.

Segundo os investigadores, a instituição financeira responsável pela conta identificou “indícios de lavagem de ativos e de movimentação de recursos de alto valor, de forma contumaz, em benefício de terceiros, incompatível com sua capacidade financeira declarada”.

Nas redes sociais, Michael de Souza Magno se identifica como pioneiro no segmento de imóveis de alto padrão. No perfil da corretora que leva o seu nome, a promessa é de “sigilo total” para compra, venda e locação para os mais de 72,5 mil seguidores. Em uma matéria de 2019, publicada pelo Notícias da TV, o corretor se orgulhava de já ter vendido um imóvel por R$ 20 milhões.

De acordo com o texto, ele teria feito negócios com Eri Johhson, Kadu Moliterno, Rayane Moraes e Juliana Kieling, além da cantora Preta Gil e os jogadores de futebol Nenê, Henrique Dourado e Giovanni Augusto. O site da empresa de Michael também tem um espaço dedicado exclusivamente ao tema “corretor das celebridades”.

Em cerca de onze páginas, ele aparece ao lado de dezenas de famosos, vários deles descritos como “amigos” ou “clientes”. Procurado pelo jornal EXTRA, Michael Magno não atendeu às ligações e não respondeu as mensagens enviadas por um aplicativo.

Leia mais