Lançada sem divulgação, série de Selena Gomez mistura humor e mistério

Selena Gomez é uma das protagonistas de Only Murders in Building (foto: Divulgação/Star)
Selena Gomez é uma das protagonistas de Only Murders in Building (foto: Divulgação/Star)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Imagine o seguinte: três vizinhos com personalidades distintas, daqueles que você evita no elevador do prédio, formam um laço por conta de um interesse em comum: histórias sobre crimes reais. Instigados por um crime em seu próprio prédio, resolvem iniciar uma investigação paralela, enquanto reportam em um podcast. É a premissa da nova série original do Star+, Only Murders in Building. A série estrelada por Steve Martin, Martin Short e Selena Gomez estreou junto com a plataforma de streaming com três episódios e o restante será exibido semanalmente.

Além de todo o mistério envolvendo tanto o crime, o criador se provou um possível fã de Salve Jorge, já que nos primeiros minutos da série temos a exibição de uma cena que acontecerá daqui dois meses na história. Piadas a parte, o uso de Flash Forward te instiga a continuar a ver a série e saber por que os personagens estão daquela maneira. How To Get Away With Murder usou esse recurso com maestria durante toda a sua exibição.

O maior destaque do seriado são seus protagonistas, cada um tem uma personalidade distinta e segredos que tentam manter, principalmente a personagem da Selena Gomez, numa história de fundo que vamos descobrindo com o passar dos episódios. A união de três pessoas que acabaram de se conhecer num elevador e acharem que são grandes detetives é a comédia, tirando um pouco a tensão sobre o caso. Também há um tom lúdico ao entrarmos na cabeça de cada um dos personagens, principalmente pelo personagem de Martin Short, um ex-diretor da Broadway, chegando ao ponto de ver os possíveis assassinos num palco.

A trama bebeu muito da fonte de séries de crimes reais como Making a Murderer e American Crime Story, onde pessoas realmente se viciaram em crimes reais numa forma de ficção, mas não pensem que a série é um Linha Direta onde só tratam do crime.

Para começar, é uma comédia, com bastante camadas de mistérios, até o momento, são pessoas normais querendo fugir da realidade enquanto vasculham lixos e invadem apartamentos. Além de satirizar os próprios fãs destes tipos de programas, vamos mergulhando na história de cada um e como chegaram no momento que está na série trazendo mais e mais camadas de mistério, e claramente a trama protagonizada por Selena Gomez traz o charme e o carisma necessários para continuar acompanhando.

Como é de praxe no lançamento de algum serviço de streaming novo no país, tentam vender o seu peixe com grandes produções exclusivas e sempre destacam uma na divulgação. Enquanto o Disney+ veio com The Mandalorian e HBO Max com The Flight Attendant, o maior destaque do Star+ entre seus conteúdos originais foram Big Sky e Impuros. A primeira sendo uma série mediana e a segunda migrada do Fox Premium.

A estreante é um achado no catálogo e que merecia uma divulgação maior, além, é claro, de ser a única que teve uma estreia mundial no mesmo dia. Outra crítica é a falta de tradução do título, entendo o trauma que as pessoas têm de certas adaptações que chegaram ao país, mas o nome da série é um charme tanto em sua língua original quanto em português, além de ser mais fácil para indicar para um amigo.

Mateus Ribeiro é engenheiro por formação, e nas horas vagas se diverte maratonando séries e assistindo programas de origem duvidosa da televisão brasileira. No TV Pop, escreve semanalmente sobre as séries produzidas pela indústria norte-americana. Converse com ele pelo Twitter @omateusribeiro. Leia aqui o histórico do colunista no site.

Leia mais