TAPA NA PANTERA

No Brasil Urgente, Datena surpreende e diz que já fumou maconha

Datena contou que experimentou maconha quando era jovem (foto: Reprodução)
Datena contou que experimentou maconha quando era jovem (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Datena revelou em conversa com a apresentadora Catia Fonseca, do Melhor da Tarde, que já fumou maconha. O assunto entre os vizinhos de programação da Band veio à tona quando o jornalista policial admitiu que não entendia o significado da expressão “tapa na pantera”. A colega de emissora explicou e o titular do Brasil Urgente confidenciou a experiência.

O pai de Joel Datena afirmou “não ser chegado” na maconha. Catia, por sua vez, afirmou que nunca fumou a droga e nem outro tipo de cigarro. Foi nesse momento que um dos maiores salários do jornalismo da Band admitiu ter experimentado a erva. “Eu fumei maconha uma vez, quando era moleque, fiquei doidão e nunca mais fumei na minha vida. Beber eu bebia demais, eu bebia e ficava mais doido que os meninos que usavam drogas”, disparou Datena.

“Esse negócio de maconha não deu certo, fumei só uma vez quando ela molequinho, me pegou legal”, continuou. Datena lembrou que o canabidiol -substância extraída da Cannabis- é usada no tratamento de algumas doenças. No entanto, ele reprovou a venda livre do produto químico em alguns países.

Datena perdeu parte do pâncreas por causa da cerveja

Em edição do Brasil Urgente, José Luiz Datena revelou que perdeu parte do pâncreas por causa do consumo em excesso de bebidas alcóolicas. Em um momento do programa, o contratado da Band desabafou sobre as consequências desse hábito e ainda relembrou da experiência de quando tentou fazer uso de maconha.

“Nunca usei droga, nunca gostei de droga. Cerva tomei por muito tempo, inclusive, perdi parte do pâncreas por causa disso”, revelou o apresentador durante o programa jornalístico. O funcionário da emissora dos Saad falou sobre o momento no qual quis experimentar a droga. O desabafo foi enquanto apresentava uma reportagem sobre a apreensão de carga de três toneladas de maconha, avaliada de R$ 5 milhões.

“Tentei fumar maconha uma vez na vida, quando era moleque, uns 16, 17 anos. Foi a coisa mais horrível que senti na minha vida. Tomando cerveja era mais doido que os caras que fumavam esse negócio. Tentei fumar um trem desses uma vez, achei uma porcaria de marca maior”, disse Datena.

 

Leia mais