ANÁLISE

Os autores de How I Met Your Father ainda acham que estão em 2005

Hilary Duff em How I Met Your Father
Hilary Duff está no papel central de How I Met Your Father (foto: Divulgação/Star+)

How I Met Your Father, derivada do sucesso de How I Met Your Mother, anos após ser cancelada antes mesmo de existir três vezes seguidas, teve o projeto aprovado pelo Hulu em 2021. Estrelada por Hilary Duff e com 10 episódios encomendados e uma segunda temporada garantida, o seriado chegou ao Star+ nesta quarta (9) e terá episódios disponibilizados semanalmente no serviço. A trama, por sinal, continua seguindo a mesma premissa de sua série mãe. Tão a risca que parece que estamos revendo remendos da série original…

Para quem nunca viu How I Met Your Mother ela mostrou por nove temporadas Ted Mosby contando aos seus filhos como conheceu a mãe deles e as aventuras que ele e seus amigos tiveram durante esse período. No novo seriado, é a mesma coisa, agora, claro, invertendo a posição e mostrando Sophie contando como conheceu o pai de seu filho. A única conexão entre as duas séries é o apartamento onde Ted morava, que agora pertence a outro personagem na série, além de alguns easter eggs deixados para fãs mais assíduos.

Ao falarmos da escrita, temos um grande problema: as piadas pararam no tempo. Uma ou duas funcionam, mas o humor tem que estar em constante evolução. Tanto que se eu assistir o seriado original hoje, muito do que eu ria lá para 2010 vou achar ofensivo e até desrespeitoso. Mas há uma coisa que se destaca: por ser uma história contada, o narrador pode modificar alguns pontos, como substituição de palavrões ou até adicionar eventos que nunca ocorreram realmente, e é aí que espero que a nova série se destaque.

Mesmo com Mother sendo um sucesso, o final da série, ou melhor, sua última temporada, foi um fiasco entre os fãs, ao ponto de terem que colocar um final alternativo no DVD. E para continuar no mesmo clima de 2005, vem aí mais uma crítica ao Star+: ao invés de adicionar a série completa de uma vez ou em transmissão simultânea com os Estados Unidos, por ser um conteúdo próprio da Disney, a exibição será totalmente atrasada em nosso país. Só faltou passar na televisão por assinatura antes de adicionar ao streaming.

Mateus Ribeiro é engenheiro por formação, e nas horas vagas se diverte maratonando séries e assistindo programas de origem duvidosa da televisão brasileira. No TV Pop, escreve sobre as séries produzidas pela indústria norte-americana. Converse com ele pelo Twitter @omateusribeiro. Leia aqui o histórico do colunista no site.

Leia mais