Morre o humorista Paulo Gustavo, de Minha Mãe é Uma Peça, aos 42 anos

Paulo Gustavo não resistiu ao Covid-19 e morreu aos 42 anos (foto: Divulgação)
Paulo Gustavo não resistiu ao Covid-19 e morreu aos 42 anos (foto: Divulgação)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Paulo Gustavo não resistiu ao Covid-19 e morreu nesta terça-feira (4). Ele foi internado em um hospital do Rio de Janeiro com a doença em 13 de março e, desde então, teve o seu quadro clínico marcado por incontáveis reveses. No último boletim médico, divulgado em 3 de maio, ele foi diagnosticado com embolia e com lesões cerebrais. A informação da morte do humorista, que se notabilizou nacionalmente com a franquia Minha Mãe é Uma Peça, foi confirmada pela família. O ator deixa marido, o dermatologista Thales Bretas, e dois filhos, Gael e Romeu.

Às 21:12h desta terça-feira, 04/05, lamentavelmente o paciente Paulo Gustavo Monteiro faleceu, vítima da COVID-19 e suas complicações.

Em todos os momentos de sua internação, tanto o paciente quanto os seus familiares e amigos próximos tiveram condutas irretocáveis, transmitindo confiança na equipe médica e nos demais profissionais que participaram de seu tratamento.

A equipe profissional que participou de seu tratamento está profundamente consternada e solidária ao sofrimento de todos.

Com uma exitosa carreira de sucesso no teatro, Paulo Gustavo começou a sua trajetória na televisão como figurante da novela Prova de Amor, transmitida pela Record em 2006. No mesmo ano, ele se transferiu para o Grupo Globo, empresa em que continuou trabalhando até a sua morte: na companhia, ele esteve no elenco de diversos projetos de teledramaturgia, como Vai Que Cola e 220 Volts. O seu último papel foi o Rique, de A Vila, que teve a sua quarta temporada transmitida pelo Multishow em 2020.

O principal trabalho do comediante, no entanto, foi a Dona Hermínia Amaral. O monólogo Minha Mãe é Uma Peça, inspirado na matriarca de sua família, foi lançado no teatro também em 2006 e se tornou rapidamente uma das apresentações mais populares do país. Em 2013, a peça deu origem a uma franquia de longa metragens — o último dos filmes foi lançado em 26 de dezembro de 2019, e faturou quase R$ 200 milhões enquanto esteve em cartaz.

A última manifestação pública de Thales, o marido do humorista, foi feita há uma semana. Nela, ele dizia confiar na melhora de seu amado e que acreditava que ele voltaria rapidamente para casa. “Estamos de braços dados, juntos nessa caminhada em direção à luz! O caminho tortuoso não vai importar quando estivermos vivendo novas alegrias e agradecendo a vitória! Estou muito ansioso, mas já medicado pra aguentar esperar o que precisar pra te carregar comigo pra casa! Que saudade da sua presença tão forte e alegre”, disse ele.

A seguir, leia o último boletim médico divulgado pelo hospital, na tarde do dia 3:

Ontem à tarde [segunda-feira, dia 2], após redução dos sedativos e do bloqueador neuromuscular, o paciente acordou e interagiu bem com a equipe profissional e com o seu marido. À noite, subitamente, houve piora acentuada do nível de consciência e dos sinais vitais, quando novos exames demonstraram ter havido embolia gasosa disseminada, incluindo o sistema nervoso central, em decorrência de uma fístula bronquíolo-venosa. Infelizmente, a situação clínica atual é instável e de extrema gravidade. A família do ator continua agradecendo todo o carinho e pedindo orações para uma recuperação de Paulo Gustavo, assim como das demais pessoas acometidas por essa doença terrível.

Leia mais