Família de Tom Veiga nega pedido de exumação do corpo: “Não sabemos de nada disso”

Família de Tom Veiga nega informação sobre exumação do corpo do intérprete do Louro José (foto: Globo/Fabricio Mota)
Família de Tom Veiga nega informação sobre exumação do corpo do intérprete do Louro José (foto: Globo/Fabricio Mota)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Alessandra Veiga, ex-mulher de Tom Veiga, o intérprete do Louro José do Mais Você, negou que a família irá pedir a exumação do corpo do ator. Nesta terça-feira (6), o colunista Leo Dias, do site Metrópoles, informou que a família do artista estaria desconfiada de que ele teria morrido por envenenamento e não por um AVC (Acidente Vascular Cerebral) causado por um aneurisma.

“Não sabemos que família é essa. Porque a nossa, com certeza, não é. Não sabemos de nada disso. Nem eu nem os filhos do Tom, muito menos os irmãos”, garante Alessandra, segunda mulher do intérprete do boneco, ao jornal Extra. Tom foi encontrado morto no dia 1º de novembro do ano passado, aos 47 anos, na casa dele, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Segundo o jornal Extra, três dias antes da morte, Tom havia instalado um circuito de câmeras de segurança no imóvel em que morava sozinho, num condomínio, após a separação de Cybelle Hermínio da Costa. De acordo com o jornal, um amigo de Tom garantiu que ele quis o circuito porque estava preocupado com sua segurança.

Três dias antes de morrer, Tom Veiga pediu a um amigo que o acompanhasse até o cartório para testemunhar uma mudança em seu testamento. O intérprete do personagem Louro José queria retirar o nome da ex-mulher, Cybelle Hemínio da Costa Veiga, do documento. O jornal Extra teve acesso aos áudios que o ator enviou ao amigo nos dias 29 e 30 de outubro de 2020.

Ainda segundo a publicação, Tom disse ao amigo que estava muito ocupado naqueles dias, mas que precisava de uma ajuda e perguntou se poderia contar com ele como testemunha no cartório para desfazer o testamento e dessa forma a retirada da terceira ex-mulher como beneficiária. No fim do trecho da conversa, ele pergunta: “Pode ir lá comigo para cancelar essa bosta?”.

O amigo então questiona o porquê de Tom não ir ao cartório no dia seguinte. O integrante do Mais Você diz que não poderia na sexta-feira, dia 30 de outubro, porque iria acompanhar a instalação de câmeras de vigilância em sua casa e o tranquilizou dizendo que o mesmo advogado que cuidaria de um novo testamento também estava tratando de seu divórcio com Cybelle.

Tom Veiga ainda falou para o amigo que iria para São Paulo no domingo (1º) pela manhã e passaria a semana inteira por lá e que por isso os dois poderiam ir até o cartório quando ele retornasse ao Rio: “Fica sossegado. Não pretendo morrer esta semana, não”.

Leia mais