Eterno candidato à presidência, Levy Fidelix morre aos 69 anos

Levy Fidelix estava internado em um hospital de São Paulo desde março (foto: Divulgação/Record)
Levy Fidelix estava internado em um hospital de São Paulo desde março (foto: Divulgação/Record)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

José Levy Fidelix da Cruz, mais conhecido apenas como Levy Fidelix, morreu na noite desta sexta (23). Aos 69 anos, o político estava internado desde março em um hospital particular de São Paulo. Com complicações de uma infecção respiratória, o quadro de saúde do fundador do PRTB piorou nos últimos dias e a sua morte foi constatada por volta das 20h. Ele deixa mulher, a também política Aldinea Rodrigues Cruz, e filha, Lívia Fidelix, que tentou se eleger deputada nas eleições de 2018. A informação foi confirmada por Rodrigo Manga, aliado do político e prefeito de Sorocaba.

Polêmico, o político virou motivo de piada pelas suas incontáveis tentativas frustradas de ter um cargo público. Ele disputou dez eleições em apenas 22 anos, e nunca passou nem perto de conseguir se eleger. A sua última disputa eleitoral foi em 2020, quando tentou se tornar prefeito da cidade de São Paulo e teve apenas 11.960 dos votos, índice que representa apenas 0,22% do total — ele ficou em 11º lugar no pleito, que teve apenas 13 candidatos.

Nos últimos anos, Levy Fidelix havia se tornado um dos grandes apoiadores de Jair Bolsonaro: Hamilton Mourão, o atual vice-presidente, é filiado ao PRTB. Em sua última eleição, Fidelix acabou se indispondo com o presidente. Ele esperava receber apoio público para disputar a prefeitura, mas Bolsonaro optou por embarcar na candidatura de Celso Russomanno — que também perdeu a eleição e sequer conseguiu ir para o 2º turno.

Em 2014, durante mais uma disputa pela presidência, ele causou revolta ao atacar o casamento gay em pleno debate promovido pela Record. “Dois iguais não fazem filho. E digo mais: desculpe, mas aparelho excretor não reproduz. É feio dizer isso, mas não podemos jamais deixar que tenhamos essa minoria querendo se escorar na maioria do povo brasileiro. Prefiro não ter esses votos, mas ser um pai, um avô, que tem vergonha na cara e que instrua o seu neto, afirmou ele, que acabou sendo condenado a pagar uma multa de R$ 25 mil pela fala homofóbica em rede nacional.

Além de sua insistência em tentar ocupar um cargo público, Fidelix também se tornou meme pelo utópico aerotrem. O peculiar meio de transporte, que mais se assemelhava a um monotrilho, era religiosamente parte das promessas de todas as suas campanhas eleitorais — de acordo com ele, a instalação dos equipamentos custaria “apenas 20 milhões de dólares” para cada quilômetro construído.

Na madrugada de sábado (24), o PRTB se manifestou oficialmente sobre a morte de seu fundador. Confira:

Comunicado de Falecimento.

É com profunda dor e pesar que o PRTB, por sua diretoria, comunica o falecimento do nosso Líder, Fundador e Presidente Nacional Levy Fidelix, ocorrida nesta data na cidade de São Paulo.

Nosso eterno líder deixa como legado o dinamismo, o bom combate , a criatividade, a honradez, a lisura em suas ações e a fé inabalável, que norteram sua vida pública e privada.

Como um brasileiro notável, nunca se furtou aos grandes debates nacionais e de forma direta contribuiu para uma nação mais justa, defendendo a vida, as liberdades individuais e o equilíbrio entre passado, presente e futuro, em prol do bem comum.

 

Veja algumas das mensagens sobre a morte de Levy Fidelix publicadas nas redes sociais:

Leia mais