SBT, Disney e patrocinadores da Copa América serão investigados pelo Ministério Público

Copa América será realizada no Brasil (foto: Reprodução)
Copa América será realizada no Brasil (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Em uma ação coordenada, o Ministério Público Federal vai investigar a CBF, estados e municípios que vão sediar a Copa América no Brasil. O SBT e a Disney (canais ESPN e FOX Sports), que vão transmitir as partidas na televisão, também serão objeto das ações, assim como as empresas patrocinadoras Mastercard, Ambev, Latam, Semp TCL, Diageo, Kwai, Betsson e TeamViewer21, além de Betfair22.

Segundo informações da colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, o subprocurador Carlos Alberto Vilhena, da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, determinou a expedição de ofícios aos procuradores dos estados de São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Distrito Federal solicitando a abertura de procedimentos de investigação sobre a realização do evento esportivo.

Ainda de acordo com a Folha, a Confederação Brasileira de Futebol, a CBF, e as empresas envolvidas no torneio deverão ser investigadas por “atos violadores dos direitos à vida e à saúde” por conta da crise sanitária. Os gestores dos municípios e estados deverão responder por colaborar com as violações ou por se omitir “do dever de prevenção a condutas transgressoras de direitos humanos no contexto de atividades empresariais e do dever de proteção contra comportamentos atentatórios a mencionados direitos fundamentais”.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou na semana passada que o Brasil receberia os jogos da Copa América, que já foi rejeitada na Colômbia e na Argentina, por causa do agravamento da crise sanitária. A ideia de abrir a ação partiu do Grupo de Trabalho de Direitos Humanos e Empresas do MPF, coordenado pelo procurador Thiago Coelho.

O grupo sustenta que o plano apresentado pela CBF e Conmebol não garante que não haverá alta transmissibilidade da infecção respiratória, além de colocar em risco a saúde de trabalhadores, como profissionais de futebol, equipe técnica, jornalistas, equipes de televisão e rádio, trabalhadores dos estádios, segurança e serviços auxiliares.

Na ação, os procuradores ressaltam também que as cidades que sediarão os jogos da Copa América de futebol masculino (Brasília, DF, Cuiabá, MT, Goiânia, GO e Rio de Janeiro, RJ) têm mais de 80% de ocupação de leitos de UTI devido ao agravamento da crise sanitária.

Leia mais