Diego Haidar, repórter da Globo, fala sobre assalto no Rio de Janeiro

Diego Haidar foi assaltado enquanto trabalhava (foto: Reprodução/Instagram)
Diego Haidar foi assaltado enquanto trabalhava (foto: Reprodução/Instagram)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Repórter da Globo no Rio de Janeiro, o jornalista Diego Haidar falou sobre os momentos de terror que viveu nesta segunda-feira (13) ao ser assaltado na capital fluminense. Em publicação nas redes sociais, o profissional contou que ele e uma colega de trabalho foram abordados por um homem em uma moto, que apontou a arma e pediu os celulares e senhas de acesso.

“Eu estava na avenida Vicente de Carvalho, ao lado da estação do BRT de Vaz Lobo, com a repórter cinematográfica Valentina Durpat. Um homem chegou numa moto, apontou a arma, pediu os celulares e as senhas de acesso”, relatou aos seguidores. Ele ainda explicou a importância de ter senhas diferentes para desbloqueio do celular e de acesso aos aplicativos de bancos.

“É importante ter senhas diferentes para o desbloqueio do aparelho e para o acesso a outros aplicativos, principalmente o de bancos. Nada de senhas no bloco de notas ou documentos armazenados. E o e-mail para confirmar trocas de senhas não deve ser instalado no aparelho”, aconselhou.

Diego Haidar viralizou nas redes sociais no mês passado ao entrar ao vivo para mostrar a chegada da frente fria e as rajadas de vento na Cidade Maravilhosa. Ao tentar conversar com a apresentadora Mariana Gross, do RJ1, Haidar se desesperou com o guarda-chuva sendo levado pelo vento. “Tava falando para me chamar logo porque daqui a pouco vou sair voando”, brincou.

“Perigoso ficar sem guarda-chuva e não sei se esse vai dar conta”, comentou o repórter. No estúdio, Mariana Gross chegou a comparar o colega à personagem Mary Poppins, que voava com um guarda-chuva. O objeto acabou quebrando por conta da forte ventania.

Leia mais