Neila Medeiros já tem novo projeto após demissão do SBT

Neila Medeiros já definiu qual será o seu próximo destino profissional (foto: Reprodução/SBT)
Neila Medeiros já definiu qual será o seu próximo destino profissional (foto: Reprodução/SBT)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Pra quem estava com saudade de Neila Medeiros, demitida do SBT há quase dois meses, nós temos uma boa notícia. A jornalista estreará em 6 de agosto o podcast Santas Insanas, e ela dividirá o comando do projeto com a sexóloga Luísa Miranda e da psiquiatra Maria Cecília. Em pouco mais de 20 minutos, a jornalista vai abordar temas como sexualidade, autoconhecimento, saúde mental, comunicação e, pra acompanhar, o papo terá uma boa música.

A jornalista, que passou uma temporada em São Paulo apresentando o Notícias da Manhã, contou ao TV Pop que a migração da televisão para o ‘microfone’ começou como uma brincadeira. “Esse é um projeto que nasceu da união de três profissionais fodas, a gente se encontrou pra botar a boca no trombone e o Jornal de Brasília abraçou essa nossa brincadeira, que virou um projeto”, afirmou ela.

Após a saída da emissora de Silvio Santos, a mãe da Liz tem se dedicado a rotina de cuidar das plantas, organizar a linda casa de madeira que construiu, cuidar dos cachorros e trabalhar usando as redes sociais para fazer lives de conteúdo com convidados.

Relembre a trajetória da jornalista

Neila Medeiros chegou a ser líder de audiência na capital federal e acabou chamando a atenção de Silvio Santos, que lhe presenteou com um telejornal em rede nacional em 2013. “A única mulher capaz de vencer, sozinha, Datena e Marcelo Rezende”, contudo, não teve vida fácil em São Paulo: o SBT Notícias, criado para roubar público do Cidade Alerta e do Brasil Urgente, ficou no ar por apenas dois meses e acumulou derrotas para a Cultura.

Um ano depois, em novembro de 2014, a jornalista ganhou uma nova chance em rede nacional e assumiu o Notícias da Manhã depois que César Filho se transferiu para a Record. Sob seu comando, o telejornal perdeu a vice-liderança para a rival e acabou cancelado em abril do ano seguinte. Dois meses depois, a emissora decidiu rescindir o contrato com a âncora — que acabou sendo recontratada após 24 horas, justamente por uma ordem do dono. Ele, porém, lhe transferiu mais uma vez para o Distrito Federal, aonde não conseguiu recuperar os índices de outrora.

Leia mais