Polícia divulga laudo final sobre a morte de Tom Veiga, o Louro José

Tom Veiga em entrevista ao projeto Memória Globo em 2019 (foto: Globo/Fabricio Mota)
Tom Veiga em entrevista ao projeto Memória Globo em 2019 (foto: Globo/Fabricio Mota)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro concluiu as investigações da morte de Tom Veiga, intérprete do boneco Louro José, do Mais Você. De acordo com o laudo final, todos os elementos da investigação indicam que a causa da morte foi natural. Com isso, a polícia sugeriu ao Ministério Público o arquivamento do inquérito.

O inquérito foi aberto após amigos de Tom suspeitarem da morte do colega de trabalho de Ana Maria Braga. No entanto, as investigações apontaram que não foi possível encontrar nada de “relevante criminalístico”. A polícia civil informou ainda que a decisão da 16ª DP da Barra da Tijuca veio após “depoimentos de testemunhas, laudos periciais e demais diligências cabíveis”.

“As investigações apontaram que não há elementos informativos que indiquem causa violenta, incluindo os resultados de perícia de local e de exame cadavérico”, diz nota da instituição. Intérprete do personagem Louro José, Tom Veiga morreu vítima de um AVC aos 47 anos em novembro de 2020.

Ana Maria Braga fala sobre como descobriu a morte de Louro José

Em uma entrevista exclusiva para o Altas Horas, Ana Maria Braga quebrou o silêncio e contou como foi comunicada da morte de Louro José. A apresentadora revelou ao programa da Globo que foi alertada sobre o falecimento do ator Tom Veiga por meio de um aplicativo de mensagens, já que ela não estava na mesma cidade que ele. “Passa um filme na sua cabeça. A gente ficou juntos durante 25 anos diariamente. Preferiram quem nos faça sorrir do que chorar”, desabafou a veterana.

“Eu estava em São Paulo, ele estava no Rio de Janeiro. A crise sanitária já estava acontecendo, foi em novembro do ano passado… nós já estávamos, eu e ele, fazendo o programa aqui de São Paulo, na minha casa. Então ele vinha, e era um final de semana. Ele estava no Rio de Janeiro, no seu final de semana. E eu estava em casa. E de repente me passam um Whats dizendo ‘o Louro morreu, o Tom morreu’. Enfim… aí passa um filme na sua cabeça”, contou.

“Ele era um filho, é um filho pra mim. A gente ficou juntos durante 25 anos diariamente. Então, hoje em dia no estúdio eu mantive essa formatação, que você deve ter visto, que tem o lugar dele lá. É o lugar do Louro, e o lugar do Louro está ali. E eu não sei o que será… mas sem duvida alguma, o lugar dele ficará lá para sempre. E ele, claro, claro que eu me lembro dele. De vez em quando eu digo, ‘se o Louro estivesse aqui, ele diria isso'”, afirmou ela.

“Eu até evito falar muito porque fica parecendo uma conversa de maluco, falando comigo mesmo, sabe? Mas eu sei o que ele responderia em uma situação daquela. E essa é uma saudade que eu acho que todo mundo tem… alguém que não é o meu filho de sangue, mas é o meu filho de alma. E eu acho que a gente vai sentir pra sempre, principalmente por ser uma relação tão íntima e tão boa, de tanta alegria. A gente deve casar com quem faz a gente rir, sorrir pelo menos. Prefiram quem nos faça sorrir do que chorar”, disse Ana Maria Braga.

Leia mais