Primeiro funcionário do SBT, Roque fala sobre Silvio Santos e explica por que só tem mulheres no auditório

Roque e Silvio Santos nos bastidores do SBT (foto: Reprodução)
Roque e Silvio Santos nos bastidores do SBT (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Fiel escudeiro de Silvio Santos, Gonçalo Roque foi o primeiro funcionário contratado pelo SBT há 40 anos. Em entrevista à jornalista Marcela Ribeiro, do site NaTelinha, o diretor de auditório do Programa Silvio Santos falou sobre como é sua relação com o apresentador e empresário e como foi o reencontro com o patrão após dois anos afastados por conta da crise sanitária. Na semana passada, Silvio foi diagnosticado com o vírus da doença respiratória depois que voltou a frequentar os estúdios do SBT, no final de julho. As gravações que estavam agendadas foram canceladas.

“Chorei muito, quase dois anos parado e eu sendo o primeiro funcionário do Silvio Santos. Ficar tanto tempo sem fazer nada é duro. Ele me entregou um livro, cumprimentei ele, conversamos rapidinho e já tinha que começar o programa que a caravana estava esperando. O pessoal ficou muito feliz”, contou Roque. “Vi alegria nele, ele nasceu para isso. Ele se tornou um dos homens mais queridos do Brasil. No dia que esse homem for embora, o Brasil para”, afirmou o profissional.

Roque conheceu Silvio Santos na portaria da Rádio Nacional. Ele estava procurando emprego, foi assistir ao programa de Manoel de Nóbrega e, ao conversar com o porteiro, foi indicado para uma vaga de office boy. Nas horas vagas, ele ajudava na portaria e quase sempre esbarrava com o apresentador. “O Silvio passava lá, dava ‘bom dia’, ‘boa tarde’, pegamos aquela amizade e depois que saiu o canal dele, me chamou e falou ‘você trabalha bem com auditório e vai ser o meu diretor’. Estou até hoje, são 63 anos trabalhando com ele”, relembra.

Até hoje, Roque e Silvio Santos costumam conversar antes das gravações dos programas no SBT. “Antes de ele entrar, sempre me chama para saber de onde é a caravana, quantas pessoas vieram… O auditório era formado por 200 pessoas, agora na pandemia gravamos só com 80. Estou muito triste com esse negócio, não posso abraçar as meninas do auditório, tirar fotos, agora é tudo à distância”, lamenta. Sobre aposentaria, ele nem pensa no assunto. “Aposentadoria para quê? Enquanto Deus dá saúde você tem que trabalhar. Ficar em casa parado, dá preguiça, não tenho o que fazer, aí a mulher começa a mandar”, brinca.

Na conversa com a jornalista Marcela Ribeiro, Roque explica o motivo de a plateia dos programas de Silvio Santos ser formada apenas por mulheres. “Homem não aplaude, é tudo ciumento. Mulher é um assanhamento que já vem da natureza, é mais animada”, brinca. Ele lembrou também de um episódio em que um homem do Rio de Janeiro que se vestiu de mulher e foi descoberto pelo segurança após a gravação de um programa. “O sonho dele era conhecer o Silvio Santos, ele veio fantasiado de mulher, entrou, assistiu o programa. Quando terminou o programa, o segurança desconfiou, ele começou a tirar a roupa, jogou o sapato de lado.”

Leia mais