Artistas da Record e RedeTV! lideram lista de cachês pagos por Bolsonaro

Apresentadores da Record e RedeTV! foram os que mais receberam por trabalhos em campanhas do governo de Jair Bolsonaro (foto: Reprodução/Montagem)
Apresentadores da Record e RedeTV! foram os que mais receberam por trabalhos em campanhas do governo de Jair Bolsonaro (foto: Reprodução/Montagem)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Artistas da Record e RedeTV! receberam cachês generosos para participar de campanhas publicitárias do Governo Federal nos últimos dois anos e meio. Por meio da Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social), contratados das emissoras de televisão receberam dinheiro do governo para falar sobre “cuidado precoce”, agenda positiva, lançamento da nova cédula de R$ 200, violência contra a mulher e outras iniciativas da gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

De acordo com informações da Folha de S.Paulo, ao menos 32 apresentadores e influenciadores receberam cachês para campanhas do governo Bolsonaro. Planilhas da Secom entregues à CPI da Covid no Senado mostram os valores recebidos em campanhas feitas por apresentadores bolsonaristas ou que trabalham em emissoras com uma linha mais próxima do governo, como a Record e RedeTV!.

Na RedeTV!, o apresentador Marcelo de Carvalho, que também é um dos donos do canal, foi quem mais recebeu dinheiro: R$ 122 mil. Ele recebeu a quantia em 11 cachês por meio das suas empresas New Mídia Serviços e TV Ômega Ltda. Na emissora, também foram contratados Luciana Gimenez, Sikêra Júnior e Luís Ernesto Lacombe.

Ainda de acordo com a Folha, quem lidera a lista é o apresentador Cesar Filho, do Hoje em Dia, que recebeu 11 cachês que somam R$ 525 mil. Na campanha eleitora, o apresentador chegou a manifestar apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Em seguida aparece Ana Hickmann, com nove cachês, que somam R$ 411 mil. Ticiane Pinheiro, Luiz Bacci e Marcos Mion, recém-contratado pela Globo, também aparecem na lista, segundo a publicação.

Em nota, as assessorias Marcos Mion e Ticiane Pinheiro afirmaram que as informações quanto à finalidade das ações correspondem às descritas na lista enviada à CPI. “Importante ressaltar que a negociação de merchandising é feita com a emissora, que determina a seu funcionário a realização da ação, e o artista recebe apenas uma fração do valor”, disse o apresentador em nota. Mion foi designado pela emissora para gravar campanha sobre o combate ao mosquito Aedes aegypti.

A assessoria de Ticiane Pinheiro informou que a apresentadora foi destacada para realizar a ação de combate à violência contra a mulher. Luiz Bacci, apresentador do Cidade Alerta, disse que a Folha de S.Paulo deveria procurar a emissora. Cesar Filho e Ana Hickmann foram procurados, mas não responderam, assim como a Record.

No programa Alerta Nacional, o apresentador Sikêra Júnior falou sobre o assunto. “‘Sikêra, é verdade que você ganhou R$ 120 mil?’ Ganhei! E tô esperando mais. Sabe como se ganha esse dinheiro? Trabalhando honestamente. Esse dinheiro ia para a Folha de S. Paulo, ia para TV Globo e aí não vai mais”, disparou.

“Passaram a distribuir para as pequenas empresas, para as pequenas emissoras. Por isso o cachê é pequeno”, explicou o apresentador da RedeTV!. “É pouco demais. Ei, Bolsonaro. Aumente, viu, eu exijo um aumento. De dezembro até agora só deu 120 mil conto?”, debochou o jornalista.

Leia mais