Apoiadores de Bolsonaro tentam agredir repórter da Globo ao vivo

Apoiadores de Jair Bolsonaro cercaram o repórter Arthur Costa durante transmissão ao vivo (foto: Reprodução/TV Globo)
Apoiadores de Jair Bolsonaro cercaram o repórter Arthur Costa durante transmissão ao vivo (foto: Reprodução/TV Globo)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Um protesto de comerciantes e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro quase terminou mal em Caraguatatuba, cidade do interior de São Paulo. O repórter Arthur Costa, da TV Vanguarda, foi cercado por manifestantes durante uma transmissão ao vivo na noite desta sexta-feira (29) e quase foi agredido pelo grupo, que invadiu a reportagem do Jornal Vanguarda para gritar palavras de ordem contra a Globo, que tem a sua programação retransmitida pela emissora pertencente ao empresário José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni.

Costa sequer conseguiu concluir a reportagem sobre o protesto contra o regresso da cidade para a fase vermelha do Plano São Paulo, que determina o fechamento de todas as atividades não essenciais. Ele foi obrigado a interromper a leitura das informações e teve que devolver a transmissão para o jornalista Ademir Ribeiro, âncora do telejornal local equivalente ao SP2 no Vale do Paraíba.

Assim que Arthur Costa entrou ao vivo no Jornal Vanguarda, os manifestantes se aproximaram do repórter. Um deles, mais exaltado, se aproxima do jornalista e passa a lhe filmar com o seu celular, em uma espécie de vídeo selfie. Pouco depois, a multidão passa a gritar “Globo lixo” em coro, já tornando difícil a compreensão das informações trazidas pelo noticiário.

A gota d’água veio segundos depois, quando outro manifestante se aproximou do microfone da afiliada da Globo aos berros. “Seja parcial nessa porra! Seja parcial nessa porra! Coloca o outro lado também, porra”, afirmava o homem, que aparentemente sequer sabe o significado de parcialidade — de acordo com o dicionário Houaiss da língua portuguesa, parcial significa aquele “que toma partido a favor ou contra uma pessoa”, justamente o contrário do apelo do cidadão, que pedia para a emissora colocar todos os lados da informação no ar.

Ao retomar a ancoragem do Jornal Vanguarda, Ademir Ribeiro se limitou a lamentar pelo ocorrido com o colega de trabalho. “Infelizmente, não estamos conseguindo ouvir o Arthur por causa dos manifestantes”, disse o âncora, que logo em seguida passou para os demais temas da edição do noticiário. A reportagem do TV Pop apurou que apesar do susto, o repórter Arthur Costa passa bem.

A seguir, assista ao vídeo da tentativa de agressão ao vivo no telejornal da Globo:

Leia mais