Apresentadora que foi para a Record é apagada da história da GloboNews

Depois de ir para a Record, Adriana Perroni virou persona non grata na Globo (foto: Reprodução/GloboNews)
Depois de ir para a Record, Adriana Perroni virou persona non grata na Globo (foto: Reprodução/GloboNews)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Os executivos da Globo não engoliram o pedido de demissão de Adriana Perroni. A jornalista, que pediu as contas na líder de audiência para se tornar repórter e apresentadora da Record, se tornou persona non grata para a empresa e acabou banida da rede até segunda ordem. Revoltada, a cúpula da emissora fez questão até mesmo de excluir as falas da comunicadora feitas para uma das novidades feitas para festejar o 25º aniversário de seu canal de notícias. Ela foi entrevistada por Maria Beltrão no primeiro episódio de As Histórias na GloboNews, publicado originalmente no dia 10 de agosto. Com a sua saída, o podcast foi tirado temporariamente das plataformas digitais. Quando voltou ao ar, a versão original foi substituída por uma mais curta, sem os depoimentos da ex-funcionária sobre a cobertura do desastre da Chapecoense.

Ao apagar a ex-funcionária de sua história, a GloboNews consequentemente sonega parte dos bastidores de suas grandes coberturas para o público, contrariando justamente o pretexto que serviu para a criação do podcast. No bate-papo com a titular do Estúdio i, a nova contratada da Record falava como foi ser convocada às pressas para cobrir a tragédia do time catarinense in loco, diretamente da Colômbia. Ela mencionava, dentre outros fatos curiosos, que foi abordada por uma chefe de Redação “desesperada” querendo saber se o seu passaporte estaria válido. Ou seja: para excluir uma funcionária com uma saída que desagradou os diretores, a Globo teve que privar o público de parte de sua história.

A entrevista dada por Adriana Perroni aparecia com destaque no comercial exibido na programação da GloboNews para divulgar o podcast. Na peça publicitária, com um minuto de duração, a jornalista só não surgia antes de José Roberto Burnier, âncora do matinal Conexão. A propaganda, que ainda está disponível nas páginas da emissora nas redes sociais (clique aqui para assistir), também acabou tirada do ar. Ela voltou sábado (28), com a mesma duração, mas sem o depoimento da repórter, que não foi substituída. No lugar de sua voz, surgiu uma música instrumental.

Em outra publicação feita pelo canal de notícias nas redes sociais, Adriana era anunciada como uma das convidadas da atração, ao lado de outros repórteres e âncoras da emissora. “Está no ar o podcast As Histórias na GloboNews, com Maria Beltrão. Os jornalistas Nilson Klava, Adriana Perroni, Rosana Cerqueira e Burnier contam bastidores das desafiadoras coberturas de acidentes aéreos no episódio 1”, afirmava o canal, em uma chamada que permanecia no ar até a publicação deste texto (clique aqui para ver).

A página oficial de As Histórias da GloboNews no G1, o portal de notícias da emissora, também acusa que o conteúdo foi reeditado após o pedido de demissão da jornalista. Ela segue mostrando que a publicação original do podcast foi feita no dia 10 de agosto, à 0h30, mas também acusa que a publicação foi modificada há quatro dias, na mesma data em que ela anunciou aos executivos da líder de audiência que decidiu aceitar a proposta feita pela rival.

A reportagem do TV Pop apurou que a saída de Adriana foi interpretada como um ultraje pelos executivos da Globo. Apesar da jornalista estar estagnada há vários anos, limitada a atuação como repórter e plantonista de telejornais da GloboNews, e da emissora sequer ter feito uma contraproposta para que ela não fosse para a Record, a cúpula achou que a sua inesperada transferência foi uma prova de que a profissional só se importava com dinheiro, e não com um plano de carreira e com uma possível ascensão no maior conglomerado televisivo do país.

Nova apresentadora da Record

Conforme antecipado em primeira mão pelo TV Pop, Adriana Perroni se demitiu da Globo na quinta (26) e justificou sua saída com a alegação de que estava em busca de projetos mais desafiadores. Ela, que será anunciada pela Record nos próximos dias, será uma das principais repórteres da emissora em São Paulo e atuará também como apresentadora das edições de sábado do Fala Brasil, que já conta com três âncoras.

A jornalista estava há seis anos na Globo. Ela foi contratada em agosto de 2015, após ter se destacado como repórter e apresentadora substituta dos telejornais regionais da TV Tem, parceira da emissora em Sorocaba. Antes disso, teve passagens pela CNT, em que chegou a atuar como folguista de Salette Lemos no comando do CNT Jornal, na RIT, em que se tornou âncora de noticiários, e foi produtora na RedeTV!, emissora em que começou sua carreira.

A última vez em que Adriana Perroni foi convocada para apresentar os telejornais da GloboNews foi em 18 de julho, durante um plantão de final de semana. Antes da crise sanitária, ela era a reserva imediata de Erick Bang na Edição da Meia-Noite e nos boletins exibidos durante a madrugada, e costumava ir frequentemente para o Rio de Janeiro para cobrir férias e ausências de seus colegas. Em abril deste ano, ela chegou a ser convocada para um plantão na matriz do canal de notícias — foi a sua última viagem pela emissora.

Leia mais