Astro das pegadinhas de João Kleber foi demitido por pedir um salário fixo

Toninho Tornado era um dos astros das pegadinhas de João Kleber na RedeTV! (foto: Reprodução/SBT)
Toninho Tornado era um dos astros das pegadinhas de João Kleber na RedeTV! (foto: Reprodução/SBT)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Astro das pegadinhas de João Kleber durante quase uma década, o ator Toninho Tornado falou pela primeira vez sobre a sua saída da RedeTV!. De acordo com o humorista, ele foi dispensado pela emissora depois de ter sido pressionado para escolher entre a televisão e um projeto próprio mantido por ele na internet. Meses depois, com a audiência do programa em queda, ele teria sido procurado para voltar ao canal, mas exigiu ter um salário mensal. “Eu ganhava R$ 300 para gravar o dia inteiro e recebia de 10 a 15 dias depois da gravação. Disse que se me dessem R$ 20 mil por mês, eu assinava um contrato PJ”, afirmou ele, que não teve resposta dos executivos da empresa.

“Eu saí da RedeTV! igual um cachorro. Pra entrar, foi legal, mas pra sair… eles me fizeram escolher entre a emissora e o meu canal, e eu ganhava R$ 300 para gravar o dia inteiro. Falei que, infelizmente, tinha que optar pelo meu canal. Eles responderam ‘obrigado, era só isso que a gente queria saber’. E assim acabou o meu contrato, sem nenhum outro parecer. Eu saí assim da TV”, revelou o humorista, que trabalhou na RedeTV! durante sete anos, até pedir demissão no final de 2019.

“Me ligaram no mês passado dizendo que o programa não está bem de audiência. Respondi que se me dessem R$ 20 mil eu sairia de casa e voltaria a gravar. Chutei bem baixo, sabe? R$ 20 mil eu saio daqui e assino um contrato PJ, mas quero vintão na minha conta todo mês. Eles disseram que iriam procurar a direção, mas não me deram resposta. Eu não critico o programa do João Kleber, ele faz o que quiser. Mas pra mim… de boa, deixa eu no meu canal, quietinho. Propostas boas estão pra vir, podem vir. E que venham”, afirmou ele para o podcast 011.

Leia mais