Rafinha Bastos critica Tiago Leifert e Rodrigo Faro por não se posicionarem

Rafinha Bastos criticou alguns apresentadores por não se posicionarem sobre assuntos polêmicos (foto: Reprodução)
Rafinha Bastos criticou alguns apresentadores por não se posicionarem sobre assuntos polêmicos (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Rafinha Bastos criticou alguns apresentadores de TV por não se posicionarem a respeito de assuntos polêmicos. Em entrevista ao podcast Ticaracaticast, o ex-integrante do CQC elogiou Luciano Huck por dar opiniões sobre temas controversos e acredita que atualmente todos que possuem relevância nas redes sociais são formadores de opinião. “O formador de opinião foi perdendo o valor desta expressão, porque hoje em dia quem influencia mais opinião não está mais na televisão. Quem são os grandes apresentadores da TV hoje? Tiago Leifert, Rodrigo Faro, Celso Portiolli: o que essas pessoas pensam da vida? Eu não faço ideia. Porque eles sabem que ficar quieto é trazer mais ovelhas para a turminha”, disse o comediante.

Rafinha parabenizou Luciano Huck por ter se envolvido com o universo da política e mostrado suas visões de mundo. Ele deixou claro que não concorda com muitas opiniões do substituto de Faustão nos domingos da Globo, mas admira o fato de ele ter saído de sua zona de conforto. “Eu tenho respeito pelo Luciano Huck. Ele é um cara que, apesar de tudo isso, foi lá se envolver com política, falar o que pensa, falou m* para c*, mas não importa. Ele resolveu se posicionar. Tem gente que sabe que a melhor coisa é ficar quietinha. E quando vai bater, bate em cachorro morto”, afirmou Rafinha Bastos.

Na mesma conversa, o comediante afirmou que não gosta quando artistas defendem pautas fáceis. Ele disse que é fã de Serginho Groisman, mas que o programa Altas Horas apenas levanta bandeiras que todo mundo concorda. “Eu adoro o Serginho Groisman, mas não sei o que ele pensa. Eu sei da relação dele com os outros artistas. Quando o programa do Serginho vai fazer uma campanha, por exemplo, ele não vai fazer contra a legalização das drogas, legalização do aborto, esses temas os caras não tocam. A campanha é contra o bullying. Quem é contra o bullying? É um tema fácil”, finalizou.

Leia mais