Caio Ribeiro chora e se emociona ao falar sobre diagnóstico de câncer

Caio Ribeiro é um dos principais comentaristas esportivos da Globo (foto: Reprodução)
Caio Ribeiro é um dos principais comentaristas esportivos da Globo (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Caio Ribeiro revelou que está em tratamento contra um linfoma de Hodgkin. Em seu perfil nas redes sociais, o comentarista disse que buscou ajuda após o aparecimento de um caroço no pescoço. “Eu fui diagnosticado com um linfoma, que se chama linfoma de Hodgkin. A boa notícia é que ele tem 95% de cura e meu corpo está respondendo muito bem ao tratamento. Já estou na penúltima sessão de quimioterapia, estou forte, com a cabeça boa, tenho certeza de que em mais 15 dias isso vai passar”, disse.

O ex-jogador contou que decidiu tornar público o tratamento para tranquilizar os fãs. Além disso, ele falou um pouco sobre algumas das consequências que a quimioterapia é a queda do cabelo. “Pretendo continuar trabalhando, estou com energia, com a cabeça boa, mas talvez vocês me vejam um pouquinho mais abatido e mais careca no ar. Mas forte, porque tenho certeza de que a gente vai passar por tudo isso junto”, declarou.

Após tornar público, Caio Ribeiro conversou com Felipe Andreoli e chorou ao falar sobre as mensagens de apoio que recebeu. “Eu sabia que viria uma onda de carinho, que as pessoas iam se sensibilizar, que ia receber mensagens de apoio. Mas juro, de coração aberto: me emociona, até porque foram muitas mensagens. São mais de 600 mil visualizações. Ligações, mensagens de texto, de amigos que eu sabia que iam estar do meu lado e pessoas que não conheço, que nunca vi na vida e fazem questão de dar uma palavra de incentivo”, pontuou o comentarista da Globo.

“Cara, isso me deixa mais forte ainda. Vai fazer bem para mim, para minha família, para suportar esse finalzinho. É um tratamento forte, é uma química dentro do seu corpo, você precisa aprender a lidar com o mal-estar, com as dores. Mas faz parte, é um processo, e tem cura, tem um final”, concluiu.

Leia mais