Longe dos palcos, Thiaguinho já conseguiu faturar mais de R$ 2 bilhões

Thiaguinho entrou para a lista de bilionários brasileiros (foto: Reprodução)
Thiaguinho entrou para a lista de bilionários brasileiros (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Thiaguinho tem aproveitado o tempo distante dos palcos para se dedicar a carreira de empresário. Segundo a revista Forbes, o cantor vem faturando R$ 2 bilhões por ano como empresário do ramo artístico e gestor da própria carreira. Em 2009, o músico criou a Paz & Bem, editora que se tornou a responsável pela administração de suas canções e obras. Ainda que a música ocupe a maior parte do faturamento da empresa, a publicidade também trouxe uma quantia considerável ao artista.

Em abril deste ano, ele deixou a Som Livre e investiu R$ 52 milhões para ser dono da própria gravadora. Seu novo disco, a segunda parte do projeto Infinito, foi lançado pela Paz & Bem em julho. Apesar de dar certo para a sua própria carreira, Thiaguinho ainda não agencia outras pessoas. “Tudo vai depender do crescimento da empresa, mas seria uma honra. Sou um cara muito curioso nesse sentido de procurar artistas e compositores novos”, disse o músico.

Nos últimos dois anos, o artista se tornou embaixador de uma marca esportiva com a criação de uma linha exclusiva de produtos e a editora do artista possui multinacionais em sua carteira de clientes, onde grande parte dos contratos que Thiaguinho fecha é de licenciamento, em que ele oferece ideias para os produtos e não apenas trabalha como garoto-propaganda. “Fico feliz por representar marcas porque é uma responsabilidade grande. Apostam na sua imagem e em tudo o que envolve a sua carreira. Tem a ver com sua conduta e sua credibilidade”, declarou para a Forbes.

“Estou me juntando com pessoas maravilhosas, vencedoras, o que vai me fazer crescer bastante como gestor em um negócio que não seja música. É algo novo para mim, um desafio interessante, e esse envolvimento faz com que a gente consiga comunicar melhor um produto ao público por fazer parte do processo de criação”, afirmou.

A empresa do cantor possui cerca de 200 funcionários com carteira assinada e não encerrou nenhum contrato durante a crise. “Sempre fomos muito organizados financeiramente, sempre tivemos preocupação com o caixa para que pudesse dar segurança caso acontecesse alguma coisa comigo. Conseguimos não mandar ninguém embora na nossa equipe, e isso me deixa muito feliz. Valorizo muito a galera que me ajuda a ser quem eu sou e poder fazer o que amo”, concluiu.

Leia mais