MasterChef Brasil anota melhor audiência da oitava temporada

MasterChef Brasil anotou melhor resultado da oitava temporada (foto: Carlos Reinis/Band)
MasterChef Brasil anotou melhor resultado da oitava temporada (foto: Carlos Reinis/Band)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O décimo episódio do MasterChef Brasil bateu recorde de audiência da oitava temporada na noite desta terça-feira (7) na Band. No ar das 22h39 à 00h39, a competição gastronômica comandada por Ana Paula Padrão anotou 2,9 de média, share de 6% e pico de 3,7. A Globo ficou na liderança isolada com 12,9 de média. A Record ficou na vice com 6,1 pontos e SBT registrou 5,8 de média. A RedeTV! marcou apenas 0,5 no horário.

O episódio transmitido na noite de ontem terminou com a eliminação do participante Renato, que passou pela segunda vez na atração –ele participou de um episódio da sétima temporada e não conseguiu sair vencedor. Em entrevista ao site da Band, ele conta que, recentemente, sua visão de jogo mudou. “Dentro do que considero ser um cenário de guerra, no bom sentido da palavra, os canhões estavam apontados, mas eu não sabia para onde. Desde o último programa, sei que tem dois grupos definidos”, revela.

O eliminado do MasterChef Brasil explica ainda sobre como estão divididos os participantes. “As pessoas que estavam na prova de eliminação comigo eram duríssimas de enfrentar. Somos um time fechado”, diz ele sobre o grupo formado por Isabella, Helena, Heitor, Luiz, Sérgio e ele, Renato. “No outro, nitidamente, há Eduardo, Ana, Raquel, Pedro, Márcio e Daphne. Tem duas pessoas no meio, que acabaram ficando muito sozinhas, que são a Kelyn e a Amanda”, completa.

Apesar da afinidade com todos, Renato não foi salvo pelos colegas de confinamento, que decidiram dar mais uma chance a Heitor. Contudo, ele garante não ter ficado aborrecido. “Sabia que não seria eu. Fico triste por não ter uma segunda chance, como outros tiveram, mas faz parte do jogo. A responsabilidade é minha.” Em sua visão, outros participantes estavam mais instáveis na disputa, porém realizaram uma prova melhor. “O mental reflete muito o prato. Acredito que alguns tiveram um bom dia e eu não. Às vezes o fator sorte não contribui “, reflete.

 

Leia mais