Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.
NÃO ACHOU INTERESSADOS

Paramount recua e decide permanecer com direitos da Libertadores e Sul-Americana

Foto de Pedro, do Flamengo pela Libertadores
Paramount continuará exibindo a Libertadores até 2026 (foto: Reprodução)

Depois de tentar repassar os direitos de transmissão da Libertadores da América e da Copa Sul-Americana para outras empresas, a Paramount acabou desistindo de abrir mão das competições. De acordo com o site F5, da Folha de S.Paulo, um dos motivos pela desistência foi a falta de interessados no pacote que a plataforma tem acesso atualmente, já que o grupo só tem direitos nas segundas escolhas dos dois torneios.

O outro motivo foi a multa por quebra de contrato que teria de ser paga à Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol), hoje na casa dos US$ 50 milhões (R$ 270,4 milhões). O montante é similar ao valor pago pela Globo em 2020, quando optou por quebrar o acordo da Libertadores na TV aberta por conta da suspensão temporária do torneio. Além do Brasil, a Paramount tem direitos dos jogos no restante da América Latina.

O grupo americano não tem conseguido obter um retorno financeiro com as transmissões na maior parte do continente. Apenas no Brasil e Argentina, em que ela também tem os direitos para TV aberta, através da líder de audiência Telefe, o torneio está dentro das expectativas do conglomerado. A empresa tem um acordo com a entidade máxima do futebol sul-americano até o término da temporada de 2026. A Paramount tem exibido jogos exclusivos de times como Atlético-MG, Grêmio e Botafogo, que estão disputando a Libertadores, por meio do Paramount+.

Ainda de acordo com a publicação, mesmo que a arrecadação nos dois países principais, o valor ainda não é o suficiente para evitar o prejuízo que a empresa está tendo com a transmissão das competições. Grandes nomes da cobertura esportiva nacional, como João Guilherme, Nivaldo Prieto, Paulo Vinícius Coelho, o PVC, e Alê Xavier foram contratados para as transmissões. Todos eles, que tem contrato fixo até 2026, seriam ressarcidos pela quebra de acordo caso a empresa tivesse conseguido se desfazer da Libertadores e Sul-Americana.

Leia mais