NOVIDADE

Canal de notícias da rádio Jovem Pan ganha data de lançamento

Canal de notícias da Jovem Pan será multiplataforma (foto: Reprodução)
Canal de notícias da Jovem Pan será multiplataforma (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O canal de notícias da rádio Jovem Pan já tem data para estrear na televisão: 17 de outubro. O novo concorrente da GloboNews, BandNews TV, CNN Brasil e Record News entrará no ar com um programa especial de apresentação, atração semelhante com a exibida pela autointitulada maior do mundo no dia do início das suas transmissões em março de 2020. As informações são do colunista Flávio Ricco, do portal R7.

Em comunicado enviado aos funcionários, a Jovem Pan informou que o canal de notícias já tem lugar garantido na grade de programação das operadoras de TV paga. Na Claro TV, a emissora ocupará a posição 576, ao lado do canal de notícias da Band e da CNN Brasil. Os programas Jornal da Manhã, 3 em 1 e Os Pingos nos Is serão os programas que terão presença fixa na programação da TV Jovem Pan News. Ainda de acordo com o colunista, a grade das 10h às 17h, noite e madrugada passarão por alterações.

Apesar de já ter lugar garantido nas operadoras, a rádio Jovem Pan terá que esperar mais um pouco para realizar o tão sonhado desejo de ter um canal de televisão aberta. Em agosto, a Justiça decidiu cassar a concessão do canal 32 da cidade de São Paulo e estragou os planos do grupo de comunicação de lançar sua TV de forma gratuita no segundo semestre deste ano. A Quarta Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região considerou ilegal a negociação feita antes de a rádio entrar na disputa pela frequência, o que prejudicou o acordo feito em junho para ocupar o lugar que já pertenceu à extinta MTV Brasil.

A decisão da Justiça considerou improcedente os pedidos de embargos de declaração do Grupo Abril e da Spring Comunicação. Os embargos são uma espécie de recurso com a finalidade específica de esclarecer contradição ou omissão ocorrida em decisão proferida por juiz ou por órgão colegiado. O TRF-3 manteve a sentença que tomou em agosto de 2020, quando acolheu a ação civil pública do Ministério Público Federal. A venda da antiga MTV para a empresa que lançou a também extinta Loading foi realizado sem a participação da União, em dezembro de 2013, o que não é permitido pela legislação em vigor. A concessão de TV aberta precisa de aprovação do Congresso Nacional, com sanção do Governo Federal.

As empresas e a União foram condenadas pelo TRF-3 por omissão e terão de pagar danos morais coletivos em 10% do valor da transação, que foi negociada por 290 milhões de reais. O valor da multa chega a R$ 29 milhões.

Leia mais