Dupla sertaneja é condenada a indenizar idosa depois de participação no The Noite

A dupla Bruno & Barreto deu entrevista ao The Noite em 12 de outubro de 2016 (foto: Reprodução/SBT)
A dupla Bruno & Barreto deu entrevista ao The Noite em 12 de outubro de 2016 (foto: Reprodução/SBT)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Uma entrevista concedida ao The Noite no feriado de 12 de outubro de 2016 saiu cara para a dupla Bruno & Barreto. Os sertanejos foram condenados pelo Tribunal de Justiça de São Paulo a indenizar a família de uma idosa em R$ 22 mil por conta de comentários controversos dos cantores durante a participação no programa do SBT.

No bate papo com Danilo Gentili, que já foi apagado da página oficial do programa no YouTube, a dupla afirmou que Bruno teria tido relações sexuais com uma idosa nos bastidores de um show realizado em uma cidade do interior paulista. Apesar de não terem citado o nome da mulher, eles revelaram detalhes da situação e o nome da cidade, o que fez com que boa parte da população local identificasse a suposta envolvida no episódio narrado pelos sertanejos.

De acordo com a família da idosa, que terá o seu nome preservado nesta reportagem, as pistas dadas pelos cantores foi o suficiente para que as suas vidas virassem um caos. Além disso, eles afirmaram que a história veiculada pelo The Noite era falsa, já que a mulher passava por um tratamento de câncer e estava debilitada na data em que o show aconteceu.

“Nossa genitora ficou em prantos, arrasada, envergonhada, sentindo-se humilhada, adoentada e com o quadro depressivo se agravando”, alegaram os familiares, que também dizem ter sido vítimas de uma infinidade de trotes e mensagens de WhatsApp fazendo piada com a suposta situação.

Intimados pelo TJSP, Bruno & Barreto justificaram que se tratava de uma anedota e, mesmo que não fosse, não era possível identificar quem a dupla se referia na entrevista dada ao SBT. “As declarações proferidas foram genéricas, sem menção expressa a qualquer pessoa e realizadas em programa de cunho humorístico, sem qualquer conotação ofensiva”, afirmaram os advogados da dupla.

A defesa, porém, não foi aceita pelo desembargador Rezende Silveira. “Ao contrário do que alegam, as menções da história, supostamente hilária, não foram genéricas, e foi perfeitamente possível identificar a pessoa”, afirmou ele, que também considerou a declaração dos sertanejos sexista e preconceituosa, condenando-os a indenizar os familiares da idosa — ainda cabe recurso em esferas superiores.

Leia mais