APÓS CÂNCER

Caio Ribeiro aguarda autorização da Globo para voltar aos estúdios

Imagem da foto do comentarista Caio Ribeiro
Caio Ribeiro espera voltar aos estúdios nos próximos dias (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Comentarista das transmissões do futebol da Globo, Caio Ribeiro relatou em entrevista como se sentiu quando descobriu que estava com linfoma de Hodgkin, um tipo de câncer no sistema linfático. “É uma porrada na boca do estômago”, disse o ex-jogador, que já foi autorizado pelos médicos a voltar ao trabalho presencial na emissora. Em conversa com o jornalista Augusto Siqueira, do GQ Esporte Clube, Caio disse que descobriu a doença em julho, após seu fisioterapeuta perceber um caroço em seu pescoço. “Ele sugeriu que eu conversasse com meu pai, que é patologista. Eu esqueci, achando que não fosse nada. Voltei na semana seguinte, e o meu fisioterapeuta perguntou de novo se eu havia falado com meu pai. Quando eu vi que ele tava preocupado, fui, então, ter essa conversa”, contou.

Após conversar com o pai, Caio Ribeiro foi ao hospital realizar uma bateria de exames. “Primeiro, eu fiz um raio-x no pescoço. Depois, exame de sangue, e me mandaram para o oncologista. E aí, foi detectado o linfoma”, relembrou. Ele disse também que a primeira pessoa que ficou sabendo foi seu pai, e depois sua mulher. “Eu tenho um casal de filhos, o João [Gabriel], de 10 [anos], e a Valentina, de 6. Pra ela, tudo é festa, é pequenininha ainda. Mas o João é muito sensível. Sou grudado nos dois, mas ele sou eu que levo no treino do futebol, nos jogos. Eu acompanho tudo que ele faz”, disse o profissional sobre a preocupação de contar sobre a doença para a família.

Caio contou que antes de divulgar ao público sobre a doença seguiu com sua rotina de trabalho normalmente. “O médico recomendou que eu seguisse com o que eu tinha que fazer, pois, tão importante quanto o tratamento, era a minha cabeça estar forte. Então, eu começaria [o tratamento] depois de um mês, porque o crescimento desse tipo de linfoma é muito lento, muito demorado. Não mudaria nada começar depois de um mês de descoberto. Fui ao camp e às Olimpiadas sem contar para ninguém, a não ser minha esposa, meu pais e meus sócios do Caioba [Camp Soccer].

O comentarista da Globo só falou sobre o assunto publicamente dois meses após descobrir o linfoma. A decisão foi por causa do filho João Gabriel, a quem ele é muito apegado. “Quando você recebe a notícia você fica preocupado, você sofre muito mais quando você vê as pessoas ao seu redor tristes, a preocupação da sua família. Isso me machuca muito mais do que a notícia em si. Só que eu não queria que o João ficasse assustado, porque ele vai pra escola, tem os amiguinhos dele. Ele é muito próximo de mim. Então eu pensei: “Enquanto eu puder poupá-lo desse tipo de dor de cabeça, eu vou poupar”. Na hora que começou a cair o cabelo, não tinha mais como esconder. Aí eu avisei a Globo, antes de tornar público. E sou muito grato à Globo pela forma como me deram a liberdade de conduzir da maneira mais tranquila possível. Me perguntaram como eu queria dar a notícia, etc”, explicou.

Liberado pelos médicos, Caio Ribeiro aguarda apenas a autorização da Globo para voltar aos estúdios e participar presencialmente das transmissões do futebol. “Da minha parte, meu oncologista, que fez todo meu tratamento, já me liberou. Eu já passei para a Globo que tô liberado. A Globo sabe que a radioterapia não muda nada na minha volta. Eu só não voltei ainda pro estúdio, porque, por conta da quimioterapia, eu demorei para tomar a segunda dose da vacina contra a Covid. Tomei no último fim de semana, no sábado. Imagino que, ou na próxima semana, ou no máximo, o fim de semana que vem, eu já volte. Mas é um achismo meu, não tem nada previsto”, adiantou.

Leia mais