Globo ameaça processar internautas que publicam trechos do BBB21

Tiago Leifert é o apresentador do BBB21 (foto: Reprodução/TV Globo)
Tiago Leifert é o apresentador do BBB21 (foto: Reprodução/TV Globo)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A Globo instituiu uma política de tolerância (quase) zero para o compartilhamento de vídeos do BBB21 nas mais diversas redes sociais. Nos últimos dias, a emissora iniciou uma verdadeira cruzada digital para combater a publicação de vídeos gravados de forma amadora e publicados por perfis sem consentimento prévio da rede e deixou profissionais do departamento de Tecnologia da Informação mobilizados para entrar em contato com as empresas solicitando a derrubada de perfis que insistam em publicar conteúdos do reality show com frequência acima do considerado “uso jornalístico”.

Para a emissora, compartilhar trechos de poucos segundos do que acontece no confinamento do BBB21 não é pirataria, tampouco viola os direitos autorais da empresa. O alvo da operação deflagrada pelos executivos da rede são os perfis que tem feito cobertura dos acontecimentos da casa mais vigiada do Brasil quase que em tempo real, sem foco em participantes específicos, e com publicações de maneira sequencial, seja em threads organizadas para agrupar conteúdos ou em publicações feitas separadamente.

Alguns perfis, de fato, ultrapassam a linha tênue do uso justo e da pirataria. Em uma rápida busca no Twitter, o TV Pop localizou internautas que inseriam até mesmo a sua chave Pix por cima das imagens gravadas do Globoplay e pediam doações em dinheiro, alegando que a contribuição era necessária para que aquele trabalho continuasse.

A patrulha digital da Globo está atuando em todas as redes sociais. Até mesmo o Telegram, que costuma ser utilizado para o compartilhamento de todos os tipos de conteúdo possíveis e imagináveis, foi notificado pela emissora líder de audiência e teve que tomar providências para coibir a divulgação de conteúdos do Big Brother Brasil em grupos do aplicativo que cobrem os acontecimentos da casa. Um deles, que já acumulava mais de 320 mil inscritos, restringiu novos participantes para tentar fugir dos funcionários do canal.

Procurada pela reportagem do TV Pop, a emissora confirmou que está monitorando todas as redes sociais e alegou que está sendo vítima de um crime, que poderá terminar com a abertura de um processo para os envolvidos. “A Globo tem o constante compromisso de defesa dos direitos autorais e participa ativamente de ações de combate à pirataria. Além de utilizar diversas ferramentas tecnológicas e estratégias de proteção ao nosso conteúdo, a empresa realiza campanhas de esclarecimento e compreensão sobre a ilegalidade e riscos de sua utilização. A pirataria causa danos, expõe o usuário ao roubo de dados e a crimes de outras naturezas, e é passível de punição tanto nas esferas criminal, administrativa e cível. Pirataria é crime”, afirmou a Central Globo de Comunicação.

Leia mais