SBT é investigado pelo Ministério do Trabalho após denúncias de funcionários

Silvio Santos posa ao lado de Jair Bolsonaro: gravação do Poder em Foco virou caso de saúde pública (foto: Divulgação/SBT)
Silvio Santos posa ao lado de Jair Bolsonaro: gravação do Poder em Foco virou caso de saúde pública (foto: Divulgação/SBT)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O SBT vive a iminência de um segundo surto de coronavírus em Brasília. A emissora, que chegou a ser praticamente interditada em agosto do ano passado, voltou a ter problemas com a doença desde a última semana, e foi alvo de uma blitz do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal nesta segunda-feira (22), após alguns funcionários se queixarem de que medidas básicas de prevenção da Covid-19 estão sendo ignoradas pelos executivos do canal. O Ministério Público do Trabalho já apura as queixas dos colaboradores e fará uma reunião para discutir o caso.

O estopim para a nova crise de saúde na emissora de Silvio Santos foi a participação de Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, no Poder em Foco. Apenas dois dias depois de ter gravado a sua entrevista para o talk show, o aliado de Jair Bolsonaro testou positivo para o coronavírus — e pessoas próximas ao advogado cogitam que ele possa ter sido contaminado nas instalações da rede. O TV Pop apurou que durante a sua visita aos estúdios, Salles fez questão de conhecer outras áreas da emissora, como a Redação do portal SBT News, e não fez questão de seguir medidas básicas para a prevenção da doença.

O resultado positivo do exame do Ministro apenas aumentou o clima de insatisfação nos bastidores do SBT. Não são poucos os profissionais que já haviam procurado o departamento de Recursos Humanos para se queixar do pouco caso dos gestores com a pandemia: as queixas são de falta de controle de visitantes, descumprimento da distância mínima entre funcionários e passam até colaboradores que trabalham presencialmente sem o uso de máscaras. O anúncio da contaminação de Salles provocou uma verdadeira corrida de jornalistas que tiveram contato com ele aos seus respectivos diretores: alguns tiveram autorização para fazer o teste de PCR, enquanto outros, não.

Roseann Kennedy, apresentadora e editora-chefe do Poder em Foco, foi a única afastada de suas funções pela diretoria do SBT. O motivo? Ela foi a única jornalista que, por motivos óbvios, teve algum registro fotográfico ao lado de Ricardo Salles: além de obviamente ter entrevistado o ministro na bancada do talk show, ela tirou fotos de divulgação com o convidado, como já é de praxe em todas as edições do programa político.

A reportagem entrou em contato com o SBT de São Paulo para pedir esclarecimentos sobre a situação de sua emissora no Distrito Federal. Por meio de seu departamento de Comunicação, a rede disse que “testou todos os colaboradores que participaram da gravação e todos testaram negativos” e justificou que Roseann está trabalhando em home office, mas “sem apresentar sintomas”. Além disso, o setor minimizou a blitz do Sindicato dos Jornalistas, alegando que se tratou apenas de uma visita programada do presidente do órgão.

TV Pop também procurou o Ministério Público do Trabalho, que confirmou estar apurando as denúncias feitas contra o SBT Brasília, mas disse não poder fornecer maiores detalhes sobre eventuais reuniões e desdobramentos do caso antes do término da apuração. O Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal foi procurado, mas não retornou aos contatos feitos pela reportagem até a publicação deste texto.

Leia mais