Os vencedores e os injustiçados do Crunchyroll Anime Awards 2021

Anime Awards 2021 teve transmissão ao vivo na televisão aberta (foto: Reprodução/Loading)
Anime Awards 2021 teve transmissão ao vivo na televisão aberta (foto: Reprodução/Loading)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

É hora do Oscar e do Emmy irem para o parquinho e darem espaço para uma premiação de gente grande. Brincadeiras a parte, com uma apresentação rápida, eficiente e organizada, o Crunchyroll Anime Awards 2021 não só trouxe os diversos desafios das produções realizadas em plena pandemia como mostrou o que pode ser o último ano da renomada premiação antes da possível fusão do serviço de streaming com a Funimation, da Sony.

O evento foi apresentado no final de semana passado e ganhou uma transmissão inédita na TV aberta pelo canal Loading, trazendo produções esperadas como Jujutsu Kaisen e destaques como Dorohedoro e, claro, uma parcela de loucura furry com Beastars para o prêmio máximo de Anime do Ano. Na indispensável categoria de Melhor Personagem Feminino, uma disputa concorrida entre as melhores do ano. Junto disso, cinco novos títulos para o simulcast da próxima temporada de animes. Os vencedores das 18 categorias (19, contando a exclusiva categoria de Melhor Dublador em Português para os países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) foram escolhidos pela opinião popular e por um time de 52 jurados ao redor do planeta. Tendo acompanhado algumas das produções, a ideia aqui não é contestar todas as categorias, mas notar alguns injustiçados pela crítica.

Melhor Personagem Masculino

(Vencedor: Shoyo Hinata, de Haikyu!! To The Top)

Shoyo Hinata é um personagem que não deu muito bem pra compreender a razão de estar ali senão o fato de ser o protagonista. Embora Haikyu!! mereça a categoria, faria mais sentido se outros personagens tivessem sido considerados. Entre os escolhidos, Gojo Satoru do estreante Jujutsu Kaisen merecia mais, sem dúvidas. Na internet, a audiência chegou a questionar se Anos Voldigoad (The Misfit of Demon King Academy) merecia sua chance, mas a realidade é que o personagem não consegue dar conta do conjunto do anime, por isso, a indicação aqui já vale a tentativa.

Os outros indicados:

  • Caiman – Dorohedoro
  • Gojo Satoru – Jujutsu Kaisen
  • Khun Aguero Agnes – Tower of God
  • Legoshi – Beastars
  • Anos Voldigoad – The Misfit of Demon King Academy
Kaguya-sama: Love is War? vence uma das categorias mais importantes da premiação (foto: Reprodução/Loading)

Melhor Personagem Feminino

(Vencedora: Kaguya Shinomiya, de Kaguya-sama: Love is War?)

Kaguya é excelente e calhou de ser a favorita, mas Noi (Dorohedoro), com sua personalidade forte e ótimas cenas com Shin, merecia causar uma surpresa. Shin, inclusive, facilmente poderia ser um dos indicados de Melhor Personagem Masculino, enquanto o par poderia entrar na competição de Melhor Casal. Sayaka Kanamori (Keep Your Hands Off Eizouken!) também entregou ótimos momentos, com sua personalidade aquecida e aquela voz única de fumante. Embora longe do topo, Chizuru Mizuhara (Rent-a-Girlfriend) também foi uma ótima personagem e merecia menos desdém do público, mas é verdade que não faria sentido dar este prêmio a ela, ainda.

Os outros indicados:

  • Sayaka Kanamori – Keep Your Hands Off Eizouken!
  • Chizuru Mizuhara – Rent-A-Girlfriend
  • Noi – Dorohedoro
  • Catarina Claes – My Next Life as a Villainess: All Routes Lead to Doom!
  • Abigail Jones – Great Pretender

Melhor Antagonista

(Vencedor: Ryomen Sukuna, de Jujutsu Kaisen)

Este é um prêmio que merecia ter ido para Rachel (Tower of God), uma personagem tão detestável quanto Karol Conká no Big Brother Brasil 21. É bem provável que a vilã tenha sofrido uma ação do tempo, já que Tower of God foi exibido no começo do ano e acabou sendo ofuscado por Jujutsu, que fez com que Sukuna roubasse a cena. Além dela, Overhaul é outro que merecia ter ganhado com facilidade, mas houve uma sutil queda na qualidade da animação de My Hero Academia que pode ter comprometido a seleção, embora a luta dele com Deku tenha vencido a categoria de Melhor Cena de Luta. Já En (Dorohedoro) tem um lado um pouco menos vilanesco e isso fez com que ele não fosse tão adequado para vencer.

Os outros indicados:

  • En – Dorohedoro
  • Rachel – Tower of God
  • Akito Soma – Fruits Basket
  • Echidna – Re:ZERO -Starting Life in Another World-
  • Overhaul – My Hero Academia

Melhor Dublador (Japonês)

(Vencedor: Yusuke Kobayashi/Natsuki Subaru, de Re:ZERO -Starting Life in Another World-)

Yusuke Kobayashi acabou vencendo pela imensa popularidade de Re:ZERO no Japão, mas isso não tira o prestígio da atuação como Subaru. Aqui, Yuichi Nakamura talvez merecesse levar pelo legado do seu trabalho e até pela opinião pública, além do tom sarcástico vivido como Gojo Satoru (Jujutsu Kaisen). Megumi Ogata é outra que demonstra perfeição em tudo que se propõe e que merecia vencer ao dar a voz para Hanako (Toilet-bound Hanako-kun), mas a disputa era acirrada.

Os outros indicados:

  • Riho Sugiyama/Minare Koda, de Wave, Listen to Me!
  • Megumi Ogata/Hanako, de Toilet-bound Hanako-kun
  • Yuichi Nakamura/Gojo Satoru, de Jujutsu Kaisen
  • Mutsumi Tamura/Sayaka Kanamori, de Keep Your Hands Off Eizouken!
  • Yuusuke Oonuki/Daisuke Kanbe, de The Millionaire Detective – Balance: Unlimited

Melhor Design de Personagem

(Vencedor: Mayuka Itou, com design original de Aidairo/Toilet-bound Hanako-kun)

O Design de Personagem é complicado de avaliar porque é relativamente fácil dar uma cara diferente a um personagem como um animal ou alguém cheio de acessórios, mas é difícil o deixar interessante e dividido. É algo que lembra bastante o cosplay, onde alguém cheio de penduricalhos provavelmente se destaca mais do que um personagem mais simples e original. Toilet-bound Hanako-kun é bonito, tendo belas artes e composições, além de uma dose de criatividade entregue com aquelas artes em quadrinhos, mas outros mereciam mais, como Eizouken, até mesmo com BNA na competição.

Os outros indicados:

  • Naoyuki Asano, com design original por Sumito Owara/Keep Your Hands Off Eizouken!
  • Yoshiyuki Sadamoto e Hirotaka Katou/Great Pretender
  • Genice Chan e Yuusuke Yoshigaki/BNA: Brand New Animal
  • Masashi Kudoh e Miho Tanino, com design original por S.I.U./Tower of God
  • Rumiko Takahashi e Yoshihito HIshinuma/Yashahime: Princess Half-Demon

Melhor Fantasia

(Vencedor: Re:ZERO -Starting Life in Another World- 2ª temporada)

Re:ZERO acabou faturando mais um prêmio ao competir em popularidade com Dragon Quest The Adventure of Dai, que merecia uma chance até por ser um favorito do público. No confronto direto, provavelmente acabou perdendo ao considerar o público global.

Os outros indicados:

  • Dragon Quest The Adventure of Dai
  • Deca-Dence
  • Ascendance of a Bookworm Part 2
  • Dorohedoro
  • Tower of God
Re:ZERO -Starting Life in Another World- era mais um favorito do público (foto: Reprodução/Loading)

Melhor Anime

(Vencedor: Jujutsu Kaisen)

No prêmio máximo do evento, pouco tenho a acrescentar. Apesar de ser uma produção que ainda esteja amadurecendo, Jujutsu Kaisen levou com folga. Porém, séries mais maduras como Beastars e até o próprio Eizouken podiam ter levado a premiação principal com bastante facilidade, não fosse o hype do vencedor.

Os outros indicados:

  • Keep Your Hands Off Eizouken!
  • Dorohedoro
  • Great Pretender
  • Appare-Ranman!
  • Beastars

Os inelegíveis e apostas para o futuro:

Alguns espectadores acabaram sentindo falta de sucessos como Black Clover na lista, uma vez que Jujutsu Kaisen foi um dos indicados e faturou várias categorias. O problema aqui é que as temporadas das produções elegíveis precisavam começar em 2020.

Um dos campeões de audiência da Loading, Attack on Titan, também é bem promissor para 2022 com sua temporada final em exibição, embora venha sofrendo um pouco com uma animação mais fraca mesmo vinda do mesmo estúdio de Jujutsu.

Do lado dos slice-of-life, o romance shounen Horimiya – Hori-san to Miyamura-kun traz uma comédia romântica doce e incrivelmente artística. Mesmo parecendo só mais uma produção baseada em alunos do ensino médio, os personagens que não são quem aparentam ser trazem um ar bem diferente e original.

Resta-nos saber o que os recém-anunciados Oddtaxi, Zombie Land Saga REVENGE, Joran The Princess of Snow And Blood, I’ve Been Killing Slimes for 300 Years and Maxed Out My Level e Tokyo Revengers vão trazer boas indicações para o ano que vem.

Caio Alexandre é entusiasta de cinema, exibição, animes e cultura pop em geral. Escreve desde 2008 sobre os mais variados assuntos, mas sempre assumiu a preferência pelo cinema e sua tecnologia embarcada. Não dispensa um filme com um balde de pipoca e refrigerante com o boss no fim de semana. No TV Pop, fala sobre tudo que é tendência no universo da cultura pop. Converse com ele pelo Twitter, em @CaioAlexandre, ou envie um e-mail para [email protected] Leia aqui o histórico do colunista no site.

Leia mais