Record aguarda SBT para preparar mais mudanças nas manhãs

Wésllen Tecchio é um dos nomes cotados para dança das cadeiras nas manhãs da Record (foto: Reprodução/Instagram)
Wésllen Tecchio é um dos nomes cotados para dança das cadeiras nas manhãs da Record (foto: Reprodução/Instagram)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A estreia do novo formato do Fala Brasil na manhã desta segunda-feira (1) deverá ser apenas a primeira de uma série de novidades na programação matinal da Record. A direção da emissora aguardará a estreia do Vem Pra Cá, a nova revista eletrônica do SBT, para definir quais serão os seus próximos passos para tentar recuperar a competitividade na faixa horária. Atualmente, as manhãs são o calcanhar de Aquiles na rede pela disputa da vice-liderança na Grande São Paulo: os resultados baixos do Balanço Geral e do telejornal nacional atrapalham o desempenho diário da rede, que só se isola na segunda colocação depois do meio-dia.

TV Pop apurou que não há grandes expectativas de audiência para os primeiros dias de Sérgio Aguiar e Mariana Godoy no Fala Brasil. Apesar da grande campanha de divulgação em intervalos e em outros programas da casa, os executivos sabem que mudar o hábito do público do horário não será fácil. Além disso, há o entendimento de que a Globo estará fortalecida na faixa até o final de maio por conta do Big Brother Brasil, que tem turbinado os resultados do Mais Você e do Encontro.

Com a estreia do Vem Pra Cá, prevista para 22 de março, a Record acredita que poderá recuperar rapidamente parte do público perdido para o SBT nas manhãs nos últimos anos. Nos bastidores, o comentário é de que o Primeiro Impacto só se consolidou na vice-liderança por conta de sua linha editorial apelativa, enquanto o Balanço Geral e o Fala Brasil mudaram seu foco para problemas comunitários, trânsito e política. Com uma revista eletrônica no lugar do telejornal policial, a disputa de audiência deverá ser entre conteúdos mais parecidos.

Além da estreia de Sérgio Aguiar e Mariana Godoy, os noticiários matinais de São Paulo devem passar por uma troca de comando ainda no primeiro semestre. A volta do SP no Ar ainda é debatida pela cúpula da emissora, que também estuda reformular o Balanço Geral Manhã mais uma vez. Wésllen Tecchio, que apresentou o telejornal em janeiro, foi bem avaliado pela cúpula da emissora. A seu favor, pesam o carinho dos fãs da emissora, que aprovaram o seu trabalho, e a boa audiência do telejornal sob o seu comando: ele foi vice-líder na maioria dos dias.

Além de Tecchio, outros profissionais correm por fora na disputa por um espaço na matriz da Record. Dentre eles, estão os nomes de Marcus Pimenta e Rodrigo Pagliani. Pimenta já faz parte da escala de plantões das manhãs, mas dificilmente deverá ser transferido, já que a filial da rede em Belém não tem um substituto a sua altura para o Balanço Geral do meio-dia. Pagliani, que apresenta o Cidade Alerta em Ribeirão Preto, também já cobriu férias em SP, mas é considerado muito velho por parte dos atuais gestores do setor, que tem priorizado rostos mais jovens.

Uma nova mudança no Balanço Geral Manhã não implicará na demissão de Bruno Peruka. Benquisto pela diretoria e pelo público, o jornalista é considerado um dos principais nomes da rede atualmente e não é responsabilizado pelo desempenho ruim do telejornal. Ele, por sinal, é o único nome que consegue ter índices semelhantes ao de Luiz Bacci no comando do Cidade Alerta, e não faz feio aos sábados, dia em que é vice-líder isolado contra José Luiz Datena.

Leia mais