JORNAL DO BORIS

Boris Casoy chama Monark de “idiota, despreparado e canalha”

Boris Casoy fala sobre Monark e dispara: "canalha"
Boris Casoy fala sobre Monark e dispara: "canalha" (foto: Reprodução/Internet)

Boris Casoy usou o espaço de seu programa no YouTube, Jornal do Boris, para criticar publicamente Bruno Aiub, o Monark, ex-apresentador e sócio do Flow Podcast, que afirmou que nazistas deveriam ter o direito de ter um partido. “Vem um idiota, despreparado e canalha com uma proposta desse tipo, com a liberdade de ser antissemita, de ser antijudeu, não soube nem explicar”, disse o jornalista.

“Isso não pode ser suportado, a liberdade de expressão tem limites, você não pode defender o assassinato de pessoas, você não pode defender a morte em série, como o nazismo fez. Você não pode defender um regime que defenda a predominância de uma raça sobre outra, se é que existe raça. Isso não admite discussão. Supostas visões racistas não admitem discussão, somos todos seres humanos, somos iguais, não há como discutir a superioridade”, declarou Boris Casoy.

O comunicador de 80 anos afirmou que liberdade de expressão tem limite. “Essa ideologia enterrada há muito tempo é crime no Brasil, a liberdade de expressão tem limites e nesse caso ela bate em uma ideologia nazista difundida pela internet que deu voz à ignorância, à barbaridade, a pessoas que sem nenhum conceito de história, de educação, de memória, despreparadas, têm acesso e cometem as barbaridades que esse cara cometeu ontem e que chegam e explicam pra gente que falaram isso porque estavam bêbados, não dá para aceitar isso”, concluiu ele.

Entenda o caso

Durante um programa do Flow Podcast transmitido nesta segunda-feira (7), que recebeu os deputados federais Tabata Amaral (PSB-SP) e Kim Kataguiri (DEM-SP). O apresentador usou o espaço no canal para defender um partido nazista. “A esquerda radical tem muito mais espaço do que a direita radical, na minha opinião. As duas tinham que ter espaço. Eu sou mais louco que todos vocês. Eu acho que o nazista tinha que ter o partido nazista, reconhecido pela lei”, disse Monark.

Tabata Amaral tomou a liberdade de rebater o posicionamento. “Liberdade de expressão termina onde a sua expressão coloca em risco a vida do outro. O nazismo é contra a população judaica e isso coloca uma população inteira em risco”, afirmou a parlamentar.

Leia mais