Afiliada da Globo no ES encerra telejornais locais e passa a produzir edições regionais

TV Gazeta deixa de produzir jornais no interior; Valéria Vieira (à esq.) e Gabrielle Manganeli assumem novas edições regionais (foto: Reprodução)
TV Gazeta deixa de produzir jornais no interior; Valéria Vieira (à esq.) e Gabrielle Manganeli assumem novas edições regionais (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A TV Gazeta, afiliada da Globo no Espírito Santo, vai encerrar a produção dos telejornais locais para as regiões Norte, Noroeste e Sul do Estado. A partir do dia 19 de abril, a emissora passará a produzir edições regionais do ES1 e do ES2 para essas localidades. Para colocar no ar os novos jornalísticos, a TV Gazeta está montando um novo estúdio na capital Vitória.

Algo semelhante já acontece na TV Anhanguera, de Goiás, que em 2019 demitiu profissionais e passou a produzir os JA1 e JA2 regionais para as cidades do interior goiano. Para a capital, Goiânia, nada mudou. A emissora coloca no ar, ao vivo, dois telejornais simultaneamente na hora do almoço e no horário nobre. O sinal do jornal regional chega nas emissoras do interior através de fibra óptica. Atualmente, as edições regionais estão suspensas devido o avanço da covid-19 em Goiás. A TV Anhanguera passou a trabalhar com profissionais em esquema de revezamento para diminuir a circulação de pessoas na redação.

Com o fim das edições locais do ES1 e ES2, a Globo local também deve realizar cortes de profissionais, mas ainda não se sabe quantos serão dispensados. De acordo com o Notícias da TV, a direção divulgou um comunicado interno alegando que as equipes das regionais serão mantidas.

Os novos ES1 e ES2 regionais serão ancorados de um novo estúdio, mais moderno, equipado com mais tecnologia para integrar as notícias do Espírito Santo. A TV Gazeta informa que as rotinas de produção e reportagem em Cachoeiro, Colatina e Linhares não mudam. O relacionamento e as operações comerciais continuarão privilegiando os anunciantes de cada região nos breaks da programação.

“Ao longo da última década, equipamos nossas emissoras e levamos o sinal digital para todos os cantos do Estado. Com o ritmo de evolução da tecnologia, vimos que poderíamos, também, evoluir com o formato das notícias locais, integrando o Espírito Santo de Norte a Sul, valorizando o foco regional”, pontua o diretor-geral, Café Lindenberg.

Para ancorar os telejornais, a emissora escalou as jornalistas Gabrielle Manganelli (Cachoeiro) e Valéria Vieira (Linhares) para seguirem à frente das câmeras como apresentadoras. O atual editor de produção da Redação A Gazeta/CBN, Abdo Filho, passa a atuar de forma integrada com o Telejornalismo e assume a posição de editor regional, coordenando o trabalho jornalístico feito em Cachoeiro, Colatina e Linhares.

O diretor de Jornalismo, Abdo Chequer, ressalta que a alta capacitação dos times dá tranquilidade para a implementação do modelo. “Nossa presença regional é um diferencial e não abrimos mão disso. Vamos ter telejornais com mais entradas ao vivo, um modelo mais dinâmico e antenado com a audiência”, garante.

A diretora das regionais Norte e Noroeste, Maria Helena Vargas, frisa que profissionais da empresa estudaram modelos adotados por outras afiliadas Globo para tornar a programação mais integrada: “Os novos telejornais preservam a atratividade comercial da programação para o Norte e o Noroeste do Estado e o compromisso da TV Gazeta com o diálogo e com a proximidade com as comunidades”.

Já o diretor da regional Sul, Bruno Passoni, cita o ritmo das notícias – mais ágil e interativo – como um atrativo para o mercado. “Tenho certeza de que entregaremos um produto forte também para nossos parceiros”, frisa Passoni.

Leia mais