CNN Brasil completa um ano no ar sem vencer GloboNews e Record News

Carla Vilhena, Glória Vanique e Márcio Gomes foram os reforços mais recentes da CNN Brasil: um ano em terceiro lugar (foto: Reprodução/CNN Brasil)
Carla Vilhena, Glória Vanique e Márcio Gomes foram os reforços mais recentes da CNN Brasil: um ano em terceiro lugar (foto: Reprodução/CNN Brasil)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Há exato um ano, a CNN desembarcava oficialmente no Brasil pelas mãos do jornalista Douglas Tavolaro e do empresário Rubens Menin. De lá pra cá, o canal de notícias conseguiu diversas conquistas que merecem e devem ser relembradas nesta data: muito além dos furos de reportagem, a chegada da grife ao país sacudiu o mercado televisivo e foi responsável por algumas das transferências de profissionais mais midiáticas dos últimos anos — casos de Márcio Gomes, Reinaldo Gottino, Monalisa Perrone, dentre outros — e também reativou a competitividade entre as suas emissoras concorrentes, que estavam nitidamente acomodadas.

Apesar de tudo isso, a CNN não conseguiu conquistar o público em seus primeiros 12 meses no ar. A “maior do mundo” completou seu primeiro ano em um terceiro lugar, sem nunca ter feito cócegas na GloboNews, que ainda é líder entre os canais de notícias do país. Sem dificuldades, a Record News seguiu na vice-liderança: seu mês com menos público nos últimos 12 meses foi o equivalente ao mês de maior audiência da caçula do gênero.

A reportagem do TV Pop teve acesso a um levantamento exclusivo sobre a performance de audiência da CNN Brasil em seu primeiro ano no ar. O canal de notícias teve a sua melhor performance em abril de 2020: com a cobertura do auge da pandemia de Covid-19 no país, a rede alcançou média de 0,13 ponto e foi vista por 91.411 telespectadores.

O pior desempenho da emissora foi registrado em outubro, exatamente um mês antes de promover as estreias de Carla Vilhena, Márcio Gomes e Glória Vanique. Foram 35.158 telespectadores, o equivalente ao índice de 0,05 ponto — apenas um centésimo separou a rede do arredondamento para o traço literal. A chegada do trio deu um novo fôlego para a rede, que saltou para 63.285 telespectadores em novembro, índice que não era obtido desde maio.

O fôlego, porém, durou pouco. O ano de 2021 chegou junto com uma tendência de crescimento da Record News, que se consolidou com mais do que o dobro de telespectadores da rival: em fevereiro, o canal do Grupo Record (que também conta com transmissão na TV aberta) teve uma vantagem de 57.280 pessoas para a CNN Brasil, mais que o público do BandNews TV durante todo o mês.

A GloboNews, que não foi citada em praticamente nenhuma parte deste texto, teve uma liderança mais do que inabalável durante todo o primeiro ano da rival. A rede até teve alguns percalços pontuais, teve que mudar a grade algumas vezes para frear bons momentos da CNN Brasil e da Record News, mas nenhum dos outros canais conseguiu chegar perto do primeiro posto nas médias mensais, conforme mostram as tabelas a seguir.

Telespectadores dos canais de notícias no PNT - março/2020 até fevereiro/2021

GLOBONEWS
RECORD NEWS
CNN BRASIL
BANDNEWS TV
março
196.886
91.411
49.221
Sem dados
abril
232.045
98.443
91.411
Sem dados
maio
246.108
112.506
84.380
28.126
junho
196.886
105.475
56.253
21.095
julho
154.696
91.411
42.190
14.063
agosto
140.633
98.443
42.190
14.063
setembro
133.601
98.443
42.190
14.063
outubro
126.570
98.443
35.158
21.095
novembro
182.823
98.443
63.285
21.095
dezembro
147.665
98.443
42.190
21.095
janeiro
171.841
114.561
50.120
21.480
fevereiro
143.201
100.240
42.960
21.480
MÉDIA ACUMULADA
172.746
100.522
53.462
19.765
Entre março e dezembro de 2020, cada ponto representava 703.167 telespectadores.
Em janeiro e fevereiro de 2021, cada ponto representou a sintonia de 716.007 telespectadores.

Leia mais