TV Walter Abrahão será processada por calote das eliminatórias da Copa

TV Walter Abrahão não poderá transmitir os jogos da seleção brasileira (foto: Paolo Aguilar/Agência Brasil)
TV Walter Abrahão não poderá transmitir os jogos da seleção brasileira (foto: Paolo Aguilar/Agência Brasil)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A novela envolvendo a quase compra dos direitos de transmissão de 56 jogos da fase eliminatória da Copa do Mundo do Qatar pela TV Walter Abrahão está bem longe do fim. A Mediapro, detentora do pacote que quase foi comprado pela rede, irá acionar judicialmente os executivos da emissora por não terem honrado o acordo com a empresa, que previa o pagamento de R$ 60 milhões pelas partidas. O prazo para o depósito do valor expirou e a companhia passou a procurar outros parceiros no Brasil — dentre eles, a Record e a Globo, que já transmitirá parte dos jogos.

A informação do litígio entre a Mediapro e a TV Walter Abrahão foi publicada em primeira mão pelo colunista Flávio Ricco, do portal R7. Para arcar com o valor exigido pelo pacote, que englobava seis jogos da seleção brasileira, a até então desconhecida rede de televisão esperava conseguir firmar parcerias com emissoras mais conhecidas, e com melhores condições financeiras para um aporte financeiro tão grande.

A Band esteve próxima de firmar um acordo com o canal para poder transmitir as eliminatórias, tanto que José Luiz Datena queimou a largada e chegou a anunciar a parceria entre as duas redes ao vivo, no final de janeiro. No entanto, as negociações desandaram no último momento, e a emissora nanica voltou para a estaca zero, já que não tinha dinheiro o suficiente para arcar com a compra dos direitos sozinha.

De acordo com o colunista Rodrigo Mattos, do UOL, a TV Walter Abrahão tem capital social de R$ 6,5 milhões, muito menos do que o valor exigido pela Mediapro. Além disso, a emissora sofre com dívidas, ao ponto de ter seus bens penhorados e parte de suas contas bloqueadas como forma de garantir o pagamento de um dividendo de R$ 365 mil.

Leia mais