Globo demite diretor responsável por transmissões de automobilismo

Alfredo Bokel posa ao lado do capacete de Ayrton Senna no estúdio do esporte da Globo: demitido após 21 anos (foto: Reprodução/Redes Sociais)
Alfredo Bokel posa ao lado do capacete de Ayrton Senna no estúdio do esporte da Globo: demitido após 21 anos (foto: Reprodução/Redes Sociais)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A Globo demitiu na manhã desta segunda-feira (14) o executivo Alfredo Bokel, que atuava como gerente responsável pelas transmissões de eventos automobilísticos e de MMA. Ele trabalhava na empresa há 21 anos e, antes de entrar para o time de gestores da rede, atuou como editor e produtor de diversos programas jornalísticos e de canais por assinatura da emissora, como a GloboNews e o SporTV. O TV Pop apurou que ele foi desligado como um reflexo da perda dos direitos de transmissão da Fórmula 1, que era o principal evento da área do jornalista.

“Tô na pista. Não como eu gostaria, na pista de um autódromo. Fui demitido mesmo. Então, estou à procura de oportunidades. Passei 21 dos meus 42 anos no Grupo Globo. Metade da minha vida. Fui prestador de 2000 a 2006 e contratado de 2006 a 2021. O que sou como jornalista e gestor devo à maior empresa de Comunicação da América Latina. Gratidão eterna”, confirmou Bokel em uma rede social.

O jornalista fez um longo texto para se despedir de seus amigos e, diferentemente do que acontece com a imensa maioria dos profissionais que são demitidos pela Globo, fez questão de elogiar a emissora e agradecer todas as oportunidades que teve nos mais diferentes setores da empresa.

“Conheci, literalmente, todos os estados do país graças à Globo. Ganhei uma pós-graduação incrível na Índia em 2009 e um Prêmio Globo de Jornalismo e Esporte em 2010 pela participação no JN no Ar. Tive a honra de aprender com os melhores profissionais da TV brasileira. Ajudei a formar alguns, meu maior orgulho. Pela minha forma próxima, disponível e transparente com as equipes, pronto a dar e ouvir feedbacks, recebi a maior avaliação da minha área, no quesito Liderança, em 2019. Orgulho máximo. Por nove anos, estive à frente do Esporte a Motor da Globo. Nos últimos quatro, também entrei no mundo das Lutas”, contou ele.

“Com raras exceções, me dei bem com meus chefes, pares, narradores, comentaristas, repórteres, equipes e demais profissionais que felizmente cruzaram meu caminho. Não vou citar nomes e acabar esquecendo alguns. Afinal, 21 anos não são 21 dias. Cito apenas um, que representa o Esporte da Globo e a minha trajetória: meu pai profissional Galvão Bueno, com quem comecei há 21 anos no Site do Galvão”, afirmou.

Por fim, Alfredo Bokel ressaltou que deixou a empresa de portas abertas, e que nada impede que ele volte a trabalhar para a rede em um futuro próximo. ‘Infelizmente, nada que fiz é capaz de suportar a perda de um grande direito. Hoje, é dia de adeus. Ou de um até logo, porque é difícil prever o futuro do mercado e saio da Globo com as portas abertas”, concluiu o jornalista.

Leia mais