Globo exibe a primeira chamada da reprise de Ti Ti Ti; assista

Primeira chamada da reprise de Ti Ti Ti foi exibida pela Globo (foto: Globo/Renato Rocha Miranda)
Primeira chamada da reprise de Ti Ti Ti foi exibida pela Globo (foto: Globo/Renato Rocha Miranda)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A Globo exibiu na noite desta segunda-feira (15) a primeira chamada da reprise de Ti Ti Ti no Vale a Pena Ver de Novo. O vídeo foi ao ar no intervalo da estreia da fase final de Amor de Mãe (veja o vídeo no fim do texto). A trama escrita por Maria Adelaide Amaral dividirá a faixa com os últimos capítulos de Laços de Família a partir do dia 28 de março.

A carreira dos atores Murilo Benício e Alexandre Borges ficou marcada ao serem protagonistas do folhetim. Eles acompanharam a versão original da novela, escrita por Cassiano Gabus Mendes e exibida em 1985, com Luís Gustavo e Reginaldo Faria nos papéis de Ariclenes/Victor Valentim e André/Jacques Leclair, e admiravam a atuação deles na época. Passados 25 anos, Murilo e Alexandre tiveram a oportunidade de interpretar os mesmos personagens na novela de Maria Adelaide Amaral e repetir o enorme sucesso.

“Nesse trabalho tive a oportunidade de conhecer o Luís Gustavo, de quem sempre fui fã. Foi uma honra fazer o personagem que ele interpretou. Eu adorava a versão original, lembro de sair correndo do futebol de rua quando dava sete da noite, e sentava no chão para não sujar o sofá, suado, mas acompanhando cada capítulo com a minha mãe”, relembra Murilo, que ganhou prêmios de melhor ator por sua atuação na pele do estilista Victor Valentim.

Alexandre Borges conta que vibrou quando foi convidado para protagonizar a novela justamente por ter na memória afetiva uma trama repleta de atores que admira e um enredo leve e descontraído. “Poder ter a oportunidade de participar da segunda versão dessa trama tão divertida foi incrível. Trabalhar com nomes como o meu grande parceiro Murilo Benício, Claudia Raia e Nicette Bruno, a nossa grande dama da dramaturgia, foi enriquecedor. A gente tinha uma troca muito legal com o Jorge Fernando, que foi essencial para a construção do Jacques Leclair”, revela Alexandre.

Leia mais