Pedro Sampaio rebate Rick Bonadio com remix de Pelados em Santos

Pedro Sampaio alfinetou Rick Bonadio com remix de música dos Mamonas Assassinas (foto: Montagem/Redes Sociais)
Pedro Sampaio alfinetou Rick Bonadio com remix de música dos Mamonas Assassinas (foto: Montagem/Redes Sociais)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Após uma tarde de tretas com o produtor musical Rick Bonadio, Pedro Sampaio o respondeu indiretamente e fez um remix da música Pelados em Santos, da banda Mamonas Assasinas, que foi produzida pelo ex-jurado de Ídolos nos anos 1990. “Na minha opinião, Mamonas combina muito com funk #FicaDeQuatro”, usando a hashtag da expressão que o produtor disse “ter vergonha”.

Na tarde desta segunda-feira (15), Rick Bonadio usou as redes sociais para reprovar a comemoração que o público brasileiro fez após a cantora Cardi B colocar um trecho do remix de WAP, feito por Pedro Sampaio, em sua apresentação no Grammy 2021. “Já exportamos Bossa Nova, já exportamos Samba Rock, Jobim, Ben Jor e até Roberto Carlos, mas o barulho que fazem por causa de 15 segundos de funk na apresentação da Cardi B me deixa com vergonha”, afirmou ele.

Logo após a repercussão, o produtor musical disse que não queria criar polêmica e nem desmerecer o trabalho de ninguém. “Não tenho nenhuma intenção de criar polêmica e muito menos desmerecer o trabalho de ninguém. Espero que evoluam e entendam as críticas. Só aplauso pode ser alienação”, escreveu Rick.

“Eu sinto a necessidade de criticar algumas situações porque vejo uma alienação generalizada. O Funk precisa evoluir. Os funkeiros precisam ousar evoluir musicalmente para crescer. Não se pode fazer o mesmo sempre porque isso dá certo. Meu post anterior não teve a intenção destrutiva”, afirmou o ex-jurado do Ídolos.

O produtor escreveu que não se pode aceitar que letras de baixo calão sejam considerados a cultura do país. “Não dá pra aceitar que sempre a mesma batida com letras de putaria seja algo necessário ou a cultura do país. De qualquer forma eu respeito todos do Funk por suas batalhas e vitórias. Desculpem se ofendi, nunca é minha intenção. O que eu espero é que ao fazer sucesso o funkeiro busque melhorar, estudar música, letra e crescer musicalmente para então tornar o gênero crossover definitivamente, mas com qualidade”, explicou ele.

Leia mais