Aaron Tura conta os bastidores do TV Foco e revela inspiração em Sonia Abrão

Em entrevista exclusiva, Aaron Tura revela que se inspira em Sonia Abrão (foto: Reprodução/TV Pop)
Em entrevista exclusiva, Aaron Tura revela que se inspira em Sonia Abrão (foto: Reprodução/TV Pop)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

É praticamente impossível viver na internet brasileira e ser indiferente ao TV Foco. Criado há quase 15 anos, o portal comandado por Aaron Tura se consolidou como uma espécie de TMZ tupiniquim e é um dos sites mais acessados de todo o país. E, assim como o meio-irmão gringo, não é raro que o projeto de Tura vá parar no olho do furacão depois de manchetes controversas viralizadas nas redes sociais. “Fomos muito criticados porque os títulos são muito pesados, perdemos a mão em algum momento e tudo bem! O problema é não mudar”, defende o jornalista.

Em entrevista ao repórter Deivisson Santos, o editor-chefe do TV Foco diz crescer com as críticas, mas admite que ainda se machuca com alguns comentários mais maldosos ao seu respeito. Além disso, ele confessou se inspirar em Sonia Abrão. “É uma jornalista que alguns tacam pedra e outras pessoas se inspiram. Ela segura tudo no gogó. Não é que ela não tem produção, quer dizer que a fala dela é tão bem colocada que ela é um foguete de ibope. Acho que me inspiro muito nela e no discurso dela”, justificou.

No bate-papo com o TV Pop, Aaron Tura abre uma rara exceção e deixa de falar de seu site para falar de si próprio. Ele abre o jogo sobre a sua vida pessoal, conta sobre a aventura como digital influencer e revela a importância de Cátia Fonseca para o seu reposicionamento como profissional e comunicador. A seguir, assista ao vídeo do bate-papo na íntegra. Se preferir, confira a versão transcrita da entrevista logo depois do player localizado abaixo deste parágrafo. Aproveite e se inscreva no canal do TV Pop no YouTube para saber em primeira mão (mesmo!) tudo que acontece no universo da televisão e das celebridades!


TV Pop: Vamos falar um pouquinho sobre você como um digital influencer… você criou um império. A gente já te conhece como jornalista, como o cara que traz as notícias e que tem uma equipe bacana e um espaço incrível. Como você foi se inserindo nisso? Não foi tudo de uma vez, primeiro veio o site, o canal no YouTube e agora tá investindo nas redes sociais. Como foi isso e quando você viu que era importante estar nessas plataformas?
Aaron Tura: Amigo, então, vou ser honesto, tá? Eu geralmente falo a verdade. Eu não me considero um digital influencer, eu acho que eu faço essa parte, eu não tô falando do TV Foco, estou falando Aaron pessoa física. Eu acho que essa parte eu poderia ser muito melhor. Eu tenho muita dificuldade de expor a minha vida pessoal. E aí você vai me perguntar: ‘nossa, mas você faz algo de diferente? Você é chique?’. Não! Não faço nada de diferente, mas eu tenho que quebrar essa barreira. Eu sou bastante envergonhado pra mostrar. Às vezes é uma coisa simples como o que eu tô fazendo pra comer e a pessoa quer ver. Essas coisas eu fui trabalhando, a questão do meu perfil nas redes sociais.

Eu acho que tenho muito o que melhorar, tem pessoas que fazem muito melhor que eu e isso é bom porque eu me inspiro, mas nos últimos meses a gente passou a investir nisso. Quando eu trabalhei com a Cátia [Fonseca], ela batia muito nisso. Ela falava: ‘você se divulga muito mal! Você não coloca a sua cara nas coisas’. Eu falava que não gosto e ela dizia que era importante. Hoje eu vejo que era importante, o público quer ver uma pessoa falando com ele, não quer ver só a fofoca. Agora essa questão de império, é muito chique. Tá na boca dele, tá? Não tá na minha boca, mas muito obrigado. É uma coisa que foi surgindo, né? O site tem 15 anos e aí agora, o YouTube veio.

Muita gente já está fazendo o YouTube há muito tempo só que eu tentei trazer as pessoas que estavam na televisão comigo. As senhorinhas, é um público muito carinhoso, mas é um público muito exigente. Eu tentei trazer elas para o YouTube, tem muitos jovens, mas a grande maioria do meu público não consumia e elas vieram. Elas estão no YouTube agora, a minha vó assiste o canal agora.


Outra plataforma que você usa bem são os Reels [plataforma do Instagram]. Qual a importância da ferramenta para a sua marca?
É uma funcionalidade nova do Instagram e as pessoas fazem muito brincadeirinhas, elas mostram o corpo e eu não tenho muita coordenação motora. Um dia eu estava em casa e falei que essa função não servia pra mim. Eu não sei fazer as brincadeiras, não tenho coordenação motora, vou usar pra fazer fofoca. Qual é o desafio do Reels? Ter que contar uma fofoca com começo, meio e fim de 30 segundos e eram 15! Em 30 segundos você precisa contar a notícia de uma maneira rápida e você sabe que as pessoas estão todas muito agitadas, elas não querem ficar 4 minutos vendo um vídeo.


A gente percebe você nas redes sociais muito seguro de si, mas para chegar aonde você está, você deve ter passado por muitas coisas para ter essa notoriedade. Principalmente as críticas. Como você faz para gravar seus vídeos? É sempre de primeira?
Olha, as críticas… muitas delas me ajudaram. Eu leio algumas coisas que ainda machucam. Outras críticas sem nexo nenhum, eu falo que não sou eu. Eu aprendi uma coisa e isso eu aprendi com Cátia Fonseca e ela sabe disso! Uma curiosidade da Cátia: ela grava as coisas de primeira. Ela tem 10 merchandisings [publicidades] para fazer e cinco minutos antes de começar o programa ao vivo, ela subia, fazia os merchans, não errava nenhum e colocava no ar.

Eu ficava olhando e pensando como ela conseguia? Claro que ela tem 20 anos de televisão, quem sou eu? Ninguém! Eu trouxe pra mim isso porque fica verdadeiro, carismático, quando ela erra, ela admite e até nos vídeos quando eu tropeço nas palavras, eu arrumo e continuo. Eu tento gravar tudo de primeira, mas claro que às vezes o olho sai torto e tem que arrumar.


Como você faz para administrar seu tempo, claro que você tem uma equipe para o TV Foco, mas como você faz para administrar as redes sociais, o canal do YouTube, se explode uma notícia… Como você ajusta?
Eu acho que você deve saber muito bem disso, mas todos nós sabemos que jornalismo, quem tá com a gente [namorado, parceiro] tem que entender que acontece qualquer coisa e tem que parar. Eu tô com o celular o tempo inteiro. Tenho equipe sim, confio na equipe, gosto da equipe, mas preciso estar ali junto. Eu sou uma pessoa que eu gosto de estar junto. Já levantei três da manhã pra ver o que estava acontecendo e perceber que era uma bomba.

Acho que foi no dia que o Bruno Gagliasso começou a bater boca com o irmão [Thiago Gagliasso] e aí, ninguém tinha visto aquilo, mas eu tô vendo, eu acordei e vou levantar. É um exemplo! Eu procuro estar antenado, só que é um desafio ter uma vida social saudável. Às vezes você tá com seus amigos, você tá ali brincando e de repente… começa a trabalhar do nada.

Eu tentei melhorar isso! Já fez mal para a minha saúde, já fiquei muito doente por ser muito workaholic [pessoa que trabalha demais] e hoje eu tento maneirar. Tento lembrar que eu posso ver uma novela com calma, eu não preciso ver os defeitos no capítulo, eu tento maneirar hoje em dia. Peguei uma série para ver na Netflix e viciei, eu tento colocar um episódio mesmo que seja uma da manhã e eu tenho que acordar às 7. Foram coisas que fui me forçando.


Você serve de inspiração para muita gente nova que está começando. São poucos sites de fofoca, mas poucos que a pessoa que é a dona e está a frente trabalhando nisso. Que recado você deixaria pra pessoa que tá começando?
O primeiro recado pode parecer bem clichê, mas vale anotar é pra não pensar em dinheiro. Ah, mas dinheiro paga as contas! Eu também tenho um monte de conta pra pagar, o grande segredo é que eu já ficava desesperado. Eu sabia que essas coisas de internet, tudo é um grão que você vai plantando todos os dias. Você precisa controlar sua ambição, produzir um negócio legal e não ficar só focado em ganhar dinheiro. O dinheiro vem! Trabalha, faz o seu trabalho direitinho e não fica pensando na grana.

Segundo conselho: tenta dar personalidade para as coisas que você faz. O TV Foco foi muito criticado porque os títulos são muito pesados, perdemos a mão em algum momento e tudo bem! O problema é não mudar. A gente tentou suavizar mais, ainda tem algumas brincadeirinhas ambígua, faz parte e é a nossa personalidade. Estou falando que todo mundo precisa assinar embaixo e falar que é legal? Não! Estou falando que quem gosta, lê. Quem não gosta, procura outra plataforma. Em resumo é não focar no dinheiro, dê personalidade para o seu trabalho e dê a sua cara. Mantenha a sua identidade! As pessoas vão criticar, vão jogar pedra e aí você segue.

A gente vem de uma época que o jornalismo precisa ser 100% sem graça e frio, não é que tem que dar opinião, a gente entende que existem momentos para dar opinião como jornalista, mas a gente tentou dar uma suavizada, tentou deixar o negócio mais divertido, erramos e tentamos colocar nos trilhos de novo. A gente tenta dar uma pitada de alegria porque o negócio é pesado.


Como você se imagina nos próximos anos nesse caminho de internet?
A resposta honesta é que eu não sei. As pessoas vão falar que eu sou perdido, mas eu foco muito no agora. Estamos em um momento desafiador, estamos em pandemia, temos muitos sites fazendo televisão e sites bons, temos muitos perfis de fofoca e você precisa competir com sites, Instagram, YouTube e todo mundo. Acho que estou focado em fazer o meu. No futuro, eu não sei como vai ser. Tudo muda! A minha ideia é sempre ir me adaptando da melhor maneira que rolar. Vai que daqui cinco anos, site não vale mais nada e o que vale é perfil de uma rede social nova e todo mundo vai pra lá. Quem diria que o Instagram teria força para ir além de fotografia?


Quais são suas inspirações?
Tem uma que eu não me importo que as pessoas falem que é puxa saco, é a Sonia Abrão. É uma jornalista que alguns tacam pedra e outras pessoas se inspiram. Sonia Abrão segura tudo no gogó. Não é que ela não tem produção, quer dizer que a fala dela é tão bem colocada que ela é um foguete de ibope. No Big Brother Brasil ela tava dando 4, 5 pontos e batendo o SBT. Acho que me inspiro muito nela e no discurso dela. Na maneira que ela tenta ser sensata, nem sempre a gente consegue, mas ela é uma inspiração.

A Luciana Gimenez é uma inspiração em programa de auditório, né? Eu posso falar dos exemplos que eu convivo. Vou contar uma fofoca: tinha uma jornalista que eu admirava muito. Ela foi da TV Globo, pro SBT e não vou falar a última emissora dela. Fui trabalhar em uma emissora e eu fui igual fã, mas me decepcionei tanto! Pensei que era só um dia ruim, o tempo foi passando e foi piorando. Ela tratava todo mundo mal e eu perdi toda a inspiração nela como profissional. Uma jornalista, não apresentadora!

Leia mais