Análise: devemos ter boa vontade com a nova programação da RedeTV!?

Marcelo de Carvalho e Amilcare Dallevo Jr. são os donos da RedeTV!: o que esperar da nova programação da emissora? (foto: Divulgação)
Marcelo de Carvalho e Amilcare Dallevo Jr. são os donos da RedeTV!: o que esperar da nova programação da emissora? (foto: Divulgação)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Já faz algum tempo que a RedeTV! só consegue espaço no noticiário de entretenimento por barracos protagonizados por um de seus acionistas ou pelas trapalhadas da controversa linha editorial pró-Bolsonaro adotada pelos mais diversos programas da casa. E a emissora parece ter ciência disso: a apresentação da nova programação do horário nobre, feita oficialmente na noite de terça-feira (30), demonstra que o canal quer deixar de ser apenas uma linha auxiliar do governo e mostra, de fato, alguma ousadia, como prometido no início do evento institucional.

Ousadia, no entanto, nem sempre é algo positivo. Em determinadas situações, ela pode se confundir com petulância e arrogância — e isso já pode ser notado com a data de estreia da imensa maioria dos novos programas. Os projetos, que até aparentam ter algum potencial, serão jogados aos leões contra a reta final do Big Brother Brasil, que tem alcançado sucessivos recordes de audiência e dominado os debates nas redes sociais. Queimar uma série de novos projetos nesse momento é no mínimo arrogante, e chega a soar como um insulto ao mercado publicitário.

Apesar de se apresentar como “a rede de TV que mais cresce no Brasil”, a RedeTV! acumula resultados residuais em grande parte da programação, inclusive em faixas do horário nobre. Aos sábados, a emissora chega a ficar atrás até da Record News na chamada média/dia, contabilizada entre 7h e meia-noite, e só não tem resultados ainda mais pavorosos pelos resultados do Operação de Risco, que foi solenemente ignorado no relançamento do prime time.

Tão ignorado quanto o programa de Jorge Lordello foi o Encrenca. Maior audiência da emissora há anos e um dos maiores faturamentos da empresa, o programa de Tatola Godas e companhia sequer foi citado no evento. De fato, a apresentação destacava novas atrações, mas também abriu espaço para o Sensacional, que está no ar desde 2015 e que não vai passar por grandes mudanças. O que custava abrir espaço para o que já dá certo no canal? Difícil explicar a decisão de simplesmente ignorar a existência dos projetos que já tem bons resultados.

Para ler o restante deste texto, peço ao leitor que seja condescendente e ignore o histórico problemático da RedeTV!. Muito além de uma emissora com problemas editoriais e escolhas duvidosas, estamos falando de vagas de emprego que estão sendo abertas. E mais do que isso, estamos falando também de uma oxigenação necessária ao mercado televisivo em meio a uma pandemia que impactou — e muito — as finanças do setor. Investir em um cenário tão incerto já é um fator que me leva a analisar as novidades da emissora com um pouco mais de boa vontade.

A primeira grande aposta é o Foi Mau, humorístico comandado por Maurício Meirelles. Com estreia confirmada para 12 de abril, às 22h30, o programa aparenta consistir no que o ex-CQC sabe fazer de melhor: comédia stand-up. Eu, particularmente, gosto do trabalho do comediante e acompanhava o WebBullying, um dos principais sucessos de sua carreira e que será revisitado na nova atração. Com requintes de baixo orçamento, vide o tosco cenário virtual, a novidade aparenta ser um bom alívio cômico para as noites de segunda-feira.

Ainda nas segundas, por volta das 23h30, será a vez do Desvendando Cozinhas. O projeto, revelado em primeira mão pelo TV Pop, tem uma vibe estilo Pesadelo na Cozinha e promete mostrar a culinária de locais inusitados sem filtros, como motéis e navios. A apresentação será de Raul Lemos, ex-participante do MasterChef. O formato, um original da Mení — empresa de qual o apresentador é sócio, é interessante, mas deve ter data de validade: não acho que existam tantas cozinhas diferentes que mereçam destaque em um programa de televisão.

Nas noites de terça, a dobradinha é do Me Poupe! Show e do Hervolution. O primeiro nada mais é do que mais uma tentativa de Nathália Arcuri de voltar a televisão falando de economia: apesar de ser um fenômeno no YouTube, a jornalista fracassou com o seu reality show destinado ao público endividado na Band. Enfadonho desde a primeira apresentação, não deverá durar muito, diferentemente de seu colega de programação.

A atração com nome estranho é uma ambiciosa parceria com a KondZilla, maior canal de YouTube do país, e pode abrir espaço para um leque de oportunidades para a emissora. A produtora é responsável pela carreira de diversos artistas do país e já esteve envolvida até com uma série da Netflix. Se a RedeTV! souber aproveitar a oportunidade, diversos programas poderão ser turbinados com a participação dos cantores que tem envolvimento com o selo.

A quarta-feira será destinada ao Operação Cupido, novo reality de Luciana Gimenez, e ao Galera FC. O formato da ex-mulher de Marcelo de Carvalho, apresentado como uma criação da RedeTV!, nada mais é do que uma releitura do Saindo Com a Sogra, que a Record transmitiu nos domingos há alguns anos. Já o programa esportivo, que será feito por Flávia Noronha e Júlio Cocielo, será outra atração esportiva engraçadinha, como o Jogo Aberto e o Arena SBT.

Nas noites de quinta, o Sensacional dividirá espaço com o Agora Com Lacombe. Bem… lembram do Aqui na Band? É a mesma coisa, mas sem a Silvia Poppovic. Só não dá pra saber se o projeto terá o mesmo final trágico de seu meio-irmão — provavelmente só iremos descobrir isso nas eleições de 2022. De qualquer forma, é um programa nichado. Vai flertar com o traço na televisão, mas certamente terá bons índices com os conservadores das redes sociais.

Por fim, uma aposta bem ambiciosa: o One Championship. A RedeTV! irá preencher as noites de sexta-feira com disputas do campeonato de MMA, com a narração de Marcelo do Ó. Pode parecer uma escolha sem sentido, mas foi na emissora que o UFC explodiu para o público brasileiro, ao ponto de ter ido parar na programação na Globo. Se bem divulgado, o torneio pode dar alegrias para os executivos da casa e, quem sabe, possa até virar um fenômeno outra vez. A Band também aposta no MMA nas noites de sábado, e costuma ter bons índices de audiência.

Além dos novos projetos, a emissora também fará uma grande reformulação do TV Fama. No entanto, a mudança já começa com o pé esquerdo: os executivos da emissora sequer se deram ao trabalho de cumprir o que foi prometido ao mercado publicitário no início de março e apresentaram algo completamente diferente no evento de lançamento. Nelson Rubens, um ícone da indústria de fofocas do país, foi chutado do programa sem esclarecimento algum, em uma tentativa de conquistar o público mais jovem — que sequer sabe da existência da RedeTV!.

Nos próximos dias (sim, não foi prometida uma data exata), quem ligar no programa de fofocas irá se deparar com um trio sem a mínima conexão entre si. O TV Fama passará a ser comandado por Lígia Mendes, a única com alguma experiência no gênero, por Alinne Prado, ex-Globo que virou apresentadora de telebingos no Rio de Janeiro, e por Júlio Rocha, ex-galã de novelas que foi esquecido pela Globo. O que os três tem em comum? Só Deus sabe.

Gabriel de Oliveira é jornalista e editor-chefe do TV Pop. Incorrigível amante do universo da televisão, fez parte da criação de formatos que estão no ar até hoje em algumas das principais redes do país. Nas horas vagas, alimenta o perfil @RickSouza no Twitter e viaja para conhecer e entender mais do fascinante mundo das afiliadas espalhadas pelo Brasil. Como se já não tivesse muitas coisas pra fazer e pouco tempo pra todas elas, pegou para si a responsabilidade de assumir a Coluna de Segunda (com ou sem trocadilho, fica a critério do leitor), que acabou deixando de ser semanal — e publicada nas segundas — por pura e simples falta de tempo. Você pode falar com o colunista pelo [email protected] e pelas redes sociais.

Leia mais