Cultura tem acordo de R$ 8 milhões por cinco anos de Manhattan Connection

Lucas Mendes é o apresentador do Manhattan Connection: programa custa mais de R$ 1 milhão por ano (foto: Reprodução/TV Cultura)
Lucas Mendes é o apresentador do Manhattan Connection: programa custa mais de R$ 1 milhão por ano (foto: Reprodução/TV Cultura)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Dispensados pela Globo depois de 27 anos, os integrantes do Manhattan Connection levaram o programa de análise do noticiário da semana para a TV Cultura. A emissora da Fundação Padre Anchieta, pertencente ao Governo de São Paulo, firmou na última semana de 2020 um contrato envolvendo a bagatela de R$ 8 milhões e 64 mil pelos próximos cinco anos da atração — valor que representa o custo de R$ 1.612.800,00 por cada ano de transmissão e produção do jornalístico.

Os valores pactuados estão disponíveis de forma pública no site de editais da Fundação Padre Anchieta, que exige apenas um rápido cadastro para que o interessado tenha acesso aos contratos firmados pela empresa que gerencia a TV Cultura com as suas contratadas. Uma rápida conta revela que cada programa do Manhattan Connection custa R$ 33.600,00, valor que engloba o salário dos seis apresentadores e da equipe de produção.

A quantia, que pode parecer alta à primeira vista, não é tão assustadora quando levamos em consideração a realidade do setor televisivo: os 242 capítulos de Os Dez Mandamentos, novela da Record, foram adquiridos pela Empresa Brasil de Comunicação por R$ 3.207.067,92 — ou seja, a empresa vinculada ao Governo Federal desembolsou R$ 13.252,35 por cada episódio do folhetim, que estreará na TV Brasil nesta segunda-feira (5).

O valor não é o fator que mais chama a atenção no acordo da Cultura com o Manhattan Connection: no contrato, o programa é representado pela Blend Negócios Divulgação e Editoração Ltda., uma empresa que foi criada apenas um dia antes do negócio entre as duas partes ser assinado, em 28 de dezembro de 2020 — o acordo com a FPA é datado de 29 de dezembro.

Além da data, o capital social da companhia também parece discrepante com o tamanho do negócio firmado: a Blend diz ter apenas R$ 10 mil em seus cofres, dado também disponível em uma consulta pública aos órgãos responsáveis. É um valor extremamente fora da realidade para uma empresa de mídia: a Endemol Shine, uma das lideres do gênero no país, tem capital social de R$ 5.262.176,00.


Atualizado em 05/04/2021, às 15h15: ao portal Teleguiado, a Cultura esclareceu o acordo milionário envolvendo o Manhattan Connection. De acordo com a emissora, trata-se de uma parceria e que todos os custos do programa são bancados pela Blend, por meio de propaganda captada na iniciativa privada. Leia, a seguir, o comunicado emitido pela Fundação Padre Anchieta ao site.

A Fundação Padre Anchieta vem esclarecer que trata-se de contrato de parceria estabelecido entre Blend Negócios Divulgação e Editoração Ltda. e a FPA (TV Cultura), voltados para a produção e a exibição do programa Manhattan Connection.

A Blend Negócios Divulgação e Editoração Ltda. (Blend”), é empresa produtora independente, que detém os direitos de produção e de exploração de um produto audiovisual, destinado à exibição por televisão, com marca “Manhattan Connection”.

A Fundação Padre Anchieta é detentora do direito de exploração de emissora de radiodifusão por sons e imagens, que adota a denominação figurativa “TV Cultura”.

Pelo contrato de parceria, a Blend assume a total e integral responsabilidade e custos pela produção do programa “Manhattan Connection”, inclusive a remuneração de todos os seus participantes, entregando, semanalmente, um programa pronto e acabado, para exibição pela TV Cultura.

A remuneração da Blend para a disponibilização do conteúdo do programa ocorre exclusivamente pela participação no resultado financeiro mensal que for obtido com comercialização das quotas de patrocínio na exibição.

O extrato do contrato foi publicado no portal de transparência da TV Cultura e o montante nele indicado, de R$ 8.064.000,00 é uma estimativa, se o contrato vier a ser cumprido, em sua integralidade, e atingida a expectativa financeira, no período de cinco anos.

Leia mais