Datena perde o controle na Band e parte pra cima de Jair Bolsonaro: “Negacionista”

Datena solta os cachorros contra Bolsonaro (foto: Reprodução/Band)
Datena solta os cachorros contra Bolsonaro (foto: Reprodução/Band)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Após o vazamento da conversa entre Jorge Kajuru (Cidadania) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Datena soltou o verbo no Brasil Urgente, da Band, contra as ações do governo durante a crise sanitária. O jornalista da Band reclamou do valor do auxílio emergencial e afirmou com todas as letras que Bolsonaro foi um presidente negacionista na gestão da maior crise sanitária da história recente do Brasil.

Na ligação com Kajuru, Jair Bolsonaro falou sobre pedido de impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal, pediu ao parlamentar para tentar ampliar a comissão que apura a conduta de prefeitos e governadores durante a crise sanitária, além de afirmar em “ir para a porrada” com o também senador Randolfe Rodrigues (Rede).

Datena começou a soltar os cachorros ao comentar sobre o auxílio emergencial de R$ 250,00 para parte da população que está sem renda. “Presidente, vê se dá um jeito nisso! Atenção senhores deputados e senadores, que estão brigando com o presidente, o presidente brigando com deputados e senadores, por causa da CPI, que precisa ter mesmo”, iniciou o jornalista.

“Quem errou tem que pagar por isso. Seja quem for”, continuou José Luiz Datena. O apresentador da Band afirmou ainda que Bolsonaro foi negacionista. “‘Ah, porque o presidente foi negacionista’. Foi mesmo. Não usou máscara, não acreditava na vacina, demorou para comprar vacina”, esbravejou.

Na sequência, Datena desconversou: “E quem roubou nos estados com muito político permitindo, erros de governadores e prefeitos pelo Brasil inteiro. Tudo isso tem que ser discutido. O presidente do Senado está vendo se isso é possível. O que deixou o Brasil de ponta cabeça foi uma conversa que o Kajuru gravou com o presidente da República”.

No entanto, foi o trecho da conversa em que Bolsonaro pede o impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal que mais irritou Datena. “Hoje de manhã, Bolsonaro foi até a porta do Palácio [do Alvorada] e disse: ‘como pode gravar um presidente da República? Isso não tem cabimento’. Fui procurar o Kajuru. Ele sabia que iria gravar e sabia que iria colocar na rede social. O Kajuru bateu o pé e falou que [Jair Bolsonaro] sabia que iria gravar e divulgar”.

Datena continuou falando sobre a conversa vazada: “O mais grave é o Bolsonaro chegar para o Kajuru e entrar com pedido de impeachment contra ministros do Supremo. Isso é um caso claro de agressão à democracia. Não pode um presidente falar para o senador para entrar com uma ação contra um ministro do Supremo. Isso é uma calamidade!”.

Leia mais