Leo Picon se desculpa por fala transfóbica e irá apoiar causa LGBTQIA+

Leo Picon pediu perdão por comentário transfóbico em rede social (foto: Reprodução)
Leo Picon pediu perdão por comentário transfóbico em rede social (foto: Reprodução)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Leo Picon concedeu uma entrevista para o canal de Matheus Mazzafera em que falou sobre a última polêmica que se envolveu quando fez um comentário transfóbico. O empresário pediu desculpas, assumiu o erro e revelou que irá criar uma coleção de roupas para destinar os lucros para casas de acolhimento e contratou funcionários trans. “Qual a letra da última pessoa que te decepcionou na internet?”, questionou Matheus Mazzafera.

“Acredito que ‘L’ que fez um comentário transfóbico. Eu me decepcionei”, respondeu o ex-namorado de Manu Gavassi. “Você fez um comentário e como você percebeu que fez comentário escroto?”, perguntou Matheus.

“Cara, quando começaram a me falar e aí, eu comecei a querer entender e eu optei por segurar essa onda e estudar. Eu me sentei e fiquei lendo, fui atrás de material, fui atrás de vídeos e percebi o peso do comentário que eu fiz. Pela minha cabeça e pelo compreendimento que eu tinha, por tudo que eu tinha visto até então passou despercebido”, contou ele.

“Eu percebi que várias outras atitudes que eu já vi e já pratiquei continham traços disso. Estudei um pouco sobre o assunto e ficou mais fácil de ter empatia, comecei a conversar com pessoas que fazem parte da comunidade que eu agredi com esse comentário e foi muito importante. Foi muito maneiro ter passado por isso porque foi fruto de um aprendizado. O comentário foi errado e eu me arrependi”, afirmou.

Leo Picon disse que tem sido um momento para ele de muito aprendizado. “Eu fiquei marcado por ser uma pessoa que fez um comentário transfóbico, mas eu quero caminhar pra um lado que eu seja um cara que empodera essa luta dos transexuais e das travestis. Tem sido um momento de muito aprendizado. Eu errei, não passo pano para o que eu falei, foi errado e eu reconheço isso, mas o acolhimento foi o que floresceu”, pontuou o empresário.

“Eu vou fazer uma coleção que eu vou destinar os lucros para algumas casas de acolhimento LGBTQIA+, vou contratar pessoas trans e trabalhar diretamente com elas. Eu estou trazendo para perto de mim uma nova perspectiva do mundo”, concluiu.

Leia mais