Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.
NOVELA DA GLOBO

Após o fim, Bruno Luperi relata cenas marcantes de Pantanal

Foto de Bruno Luperi
Bruno Luperi falou sobre cenas marcantes de Pantanal (foto: Reprodução/Internet)

Bruno Luperi, autor do remake de Pantanal, elencou quais foram as cenas mais marcantes para ele após o término da trama nesta sexta-feira (7). O escritor revelou que um dos momentos mais importantes foi na transformação de Joventino (Irandhir Santos) em Velho do Rio. “Essa cena vai ficar gravada na minha memória, primeiramente, pelo trabalho do Irandhir e da direção”, contou para o gshow.

“Essa é uma das cenas que eu considero ter um alicerce desta adaptação inteira, porque, quando li a primeira versão, à luz do nosso tempo, essa figura dos Leôncio e o valor moral deles seria muito questionado, uma vez que eles tivessem feito fortuna com base na exploração animal e nos maus-tratos. Então, neste trecho inteiro onde ele sai de um peão se despedindo de todos aqueles itens de doma diante desse animal, está toda a mensagem do porquê esse cara encantou no Velho do Rio. Ele realmente se conectou com a natureza”, declarou o autor.

Outra cena relevante para a história na opinião de Bruno Luperi é a do Velho do Rio casando Jove e Juma. “Foi uma cena que tocou muito público, que teve uma repercussão muito grande, e é também uma das cenas que carrega muito o valor da mensagem dessa novela. Porque Deus é, sobretudo, o amor. É a relação de amor entre os seres, não só humanos, mas entre todas as espécies”, afirmou.

O autor relatou uma das primeiras cenas marcantes da história que foi quando Maria Marruá (Juliana Paes) vira onça. “Essa cena também é o nascimento da lenda. Literalmente, depois daqui, a gente corta para o Gil contando na chalana que viu a mulher virar onça na frente dele. E a gente tentou mostrar tudo na perspectiva do olhar dele. Então, ele viu a esposa virar onça. Se ela virou onça de fato ou não, pouco importa. Ele viu a mulher que ele casou, que perdeu os filhos, que sofreu a vida inteira, se transformando em algo muito mais poderoso. É uma potência da natureza isso”, detalhou Bruno Luperi.

Leia mais