Globo teria inventado notícia para prejudicar o SBT, diz ator de Chaves

Carlos Villagrán caracterizado como Quico em um dos episódios de Chaves (foto: Reprodução/Televisa)
Carlos Villagrán caracterizado como Quico em um dos episódios de Chaves (foto: Reprodução/Televisa)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Apontada como nova casa de Chaves e Chapolin em território nacional, a Globo já esteve no centro de uma polêmica envolvendo as duas produções mexicanas. De acordo com o ator Carlos Villagrán, mundialmente conhecido por ter interpretado Quico em El Chavo del Ocho, a emissora teria se incomodado com os índices de audiência dos seriados no Brasil e, por isso, inventou uma notícia para tentar prejudicar a performance das produções no SBT. “A Globo inventou que todos os integrantes de Chaves morreram em um acidente aéreo”, afirmou.

“No Brasil, o SBT, que é um canal pequeno, tem os direitos de transmissão do Chaves. O seriado foi oferecido para a Globo, que era um monstro, mas ela não o quis. De repente, o SBT colocou no ar e a audiência disparou. A Globo se surpreendeu, mas já não podia comprar a série. Então, eles decidiram usar os jornais e a imprensa, majoritariamente composta pela própria Globo, e inventaram a notícia para tentar derrubar a audiência”, revelou o ator.

A declaração de Carlos Villagrán faz parte de uma entrevista do ator para o programa chileno De Pé a Pá, transmitido pela TVN entre 1996 e 2005. Os fãs do seriado, incomodados com a notícia de que a Globo está negociando a compra dos direitos de transmissão das produções, decidiram resgatar o trecho em que o intérprete de Quico fala sobre a controversa relação da emissora com a série (clique aqui para assistir).

Chaves e Chapolin estão fora do ar no Brasil e no mundo desde 31 de julho do ano passado. A exibição dos seriados foi suspensa mundialmente por conta de um imbróglio entre a Televisa, responsável pela produção das séries, e o Grupo Chespirito, administrador do espólio de Roberto Gómez Bolaños e detentor da propriedade intelectual das tramas, como personagens e os roteiros de episódios.

Interessada em preencher a lacuna de mercado e ciente do potencial das obras, a Globo decidiu negociar diretamente com a família de Bolaños para ter as produções em sua plataforma de streaming. Nos bastidores, comenta-se que as negociações estão avançadas e que as partes devem chegar em um acordo até o Dia das Crianças, em 12 de outubro.

Leia mais