Record dispara mensagens implorando para público assistir Geraldo Luís

Record decidiu apelar para salvar audiência de Geraldo Luís (foto: Reprodução/Record)
Record decidiu apelar para salvar audiência de Geraldo Luís (foto: Reprodução/Record)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A Record continua obstinada em subir a audiência do Balanço Geral Manhã. Agora, a emissora decidiu apelar para uma tática pouco isenta e muito utilizada em campanhas políticas e em golpes virtuais. Os executivos da emissora contrataram um serviço de disparo em massa de mensagens SMS para números aleatórios de celulares da Grande São Paulo para fazer propaganda do telejornal de Geraldo Luís. A primeira leva de propagandas não solicitadas foi enviada na manhã desta quinta-feira (1) e há previsão de novas ondas de disparos para os próximos dias.

Na mensagem, a Record vende o Balanço Geral como o “seu melhor amigo das manhãs” e pede para que o público aceite começar “o dia bem informado com Geraldo Luís”. O anúncio continua, dizendo que o telejornal vai ao ar de segunda a sexta-feira, a partir das 6h da manhã, e ignora o fato de que o jornalístico na verdade começa às 5h, com a apresentação de Bruno Peruka. Por fim, a propaganda é encerrada com um link que sequer existe: o domínio citado pelo canal está a venda por pouco menos de dois mil dólares.

Record enviou propaganda de Geraldo Luís com link que sequer existe (foto: Reprodução/TV Pop)
Record enviou propaganda de Geraldo Luís com link que sequer existe (foto: Reprodução/TV Pop)

O TV Pop recebeu o spam enviado pela emissora em uma linha telefônica da Claro. Pessoas próximas à reportagem também foram agraciadas com as mensagens disparadas pela empresa contratada pelo canal, e receberam o jabá em outras linhas móveis da Claro e da Vivo, líderes no mercado de telefonia móvel em São Paulo. Ao todo, 46 milhões e 974 mil números de celular do estado são das duas operadoras, número que representa 66% do total do mercado.

De acordo com uma empresa especializada em disparos em massa de SMS, uma campanha do gênero costuma ter até 500 mensagens disparadas por segundo. O custo da operação não é nada modesto: cada propaganda enviada custa R$ 0,03 aos cofres do remetente. Em um cenário que a Record tenha enviado mensagem para apenas metade dos celulares de São Paulo, a emissora desembolsou R$ 704.624,75 com uma campanha de eficiência duvidosa. Se a audiência não reagir nos próximos dias, provavelmente teremos um caso histórico de desperdício de dinheiro. A conferir.

Leia mais