Cappellanes adoece e Rogério Assis narra dois jogos em um dia na Band

Rogério Assis enfrentou maratona de narrações na Band (foto: Reprodução/Band)
Rogério Assis enfrentou maratona de narrações na Band (foto: Reprodução/Band)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A tarde e o começo de noite de sábado (11) não foram fáceis para Rogério Assis. A voz do “canhão”, como é conhecido o narrador da Rádio Bandeirantes e do BandSports — e comentarista de Os Donos da Bola, na Band, enfrentou uma maratona para cobrir uma inesperada ausência de João Paulo Cappellanes. Ele narrou dois jogos de futebol em sequência, já que a emissora não tinha outro comunicador em stand-by e tampouco esperava a licença-médica de Cappellanes, diagnosticado com infecção respiratória poucas horas antes da transmissão de São Paulo e Bahia.

Na escala original da Rádio Bandeirantes, Assis faria apenas a narração de Palmeiras e Santos, às 16h30, enquanto João Paulo comandaria a outra partida da rodada do Brasileirão, iniciada às 19h. “Rogério narrou agora Palmeiras x Santos e vai narrar São Paulo e Bahia? Vai. O jogo vai ter a narração de Rogério Assis porque agora há pouquinho no meio da tarde, João Paulo Cappellanes, que estava escalado para a transmissão, recebeu um teste positivo. E, com o teste positivo, nós, evidentemente, não podemos ter ele para essa transmissão”, afirmou Ricardo Capriotti, que atua como apresentador e coordenador da equipe esportiva da rádio.

Em uma situação mais normal, Cappellanes poderia ter sido substituído por Ulisses Costa. Ele, porém, foi escalado para a narração da última partida da Copa América, às 21h — e não era uma opção viável sobrecarregar a principal voz esportiva da Rádio Bandeirantes, que estava se preparando para a narração de um jogo decisivo para a seleção brasileira. Com isso, a única alternativa restante foi sobrecarregar Rogério Assis, que recebeu elogios públicos de Capriotti pela sua pro-atividade em substituir o colega de trabalho.

“Para mim é uma honra. E é aquilo que eu te falei: tô aqui, vamos lá. Jogamos num time e somos todos um time, uma equipe. Ninguém consegue sozinho e ninguém perde ou ganha sozinho. Me lembrei de uma música dos demônios da garoa. ‘Se você pensa que nós fomos embora, olha nós aqui outra vez'”, parafraseou o narrador. Por fim, o coordenador ainda brincou que torceria por poucos gols na partida para economizar a voz do “canhão”.

E não é que a brincadeira funcionou? Somente Lizieiro marcou, aos 48 minutos da segunda etapa, na vitória magra de 1-0 do São Paulo sobre o Bahia, para a alegria da voz de Rogério Assis, que narrou “só” dois jogos seguidos e ficou no ar por mais de quatro horas consecutivas. Neste domingo (11), ele voltou a narrar: Flamengo x Chapecoense também foi irradiado pelo “canhão”. Mas dessa vez, só um jogo no dia, já que Ulisses Costa, firme e forte, comandou a derrota do Corinthians por 1-0 para o Fortaleza.

Leia mais